POR QUE COMPRA SUSTENTÁVEL?

POR QUE COMPRA SUSTENTÁVEL?

Porque essa modalidade é aquela em que se prevê o uso eficiente dos recursos materiais para que seu impacto ambiental seja reduzido

Sustentabilidade:

Principio segundo o qual o uso atual dos recursos naturais não pode comprometer a satisfação das necessidades das gerações futuras, em ou

Desponta um novo perfil no cidadão, antenado às questões ambientais e sociais, ou seja, que percebe suas conexões com o bem estar, o desenvolvimento econômico e a geração sustentável de riquezas.

Em outras palavras, alem do preço e qualidade, novos parâmetros se apresentam importantes nas decisões de compra pelos cidadãos em tempos de maior cobrança da sociedade sobre a origem dos produtos e métodos de produção.

POR QUE COMPRA SUSTENTÁVEL?

Ou seja,os aspectos positivos ao meio ambiente devem estar aliados as suas necessidades de compras.

Em conclusão, os produtos sustentáveis funcionam ou são fabricados de acordo com as seguintes características:

  • menor uso de recursos naturais
  • redução de materiais tóxicos ou perigosos
  • maior vida útil
  • menor consumo de energia ou água em sua produção ou utilização
  • possibilidade de reciclagem ou reutilização
  • menor geração de resíduos
  • uso de agrotóxicos, gorduras trans, excesso de açúcar e sal

Importante destacar que o produto sustentável, não é somente aquele que é reciclado, ou seja, sempre preste muito a atenção.

Ele pode ter outras funcionalidades ou propósitos, como por exemplo, mobílias, transporte, vestuário, eletrônicos e na construção.

POR QUE COMPRA SUSTENTÁVEL?

Quais são os benefícios?

Atributos de Sustentabilidade:

-Ambientais:

  •  Verificar impactos ambientais de produtos e embalagens
  •  Reduzir o material de embalagens
  •  Incentivar a concepção de produtos recicláveis ou reutilizáveis
  • Considerar a toxicidade de materiais e produtos,matéria prima renovável,eficiência energética,uso de água,redução de emissões de gases e desperdícios

-Diversidade:

  • Comprar de empresas pertencentes a mulheres e a minorias,como quilombolas e indígenas
  • Segurança:
  • Garantir o transporte seguro de insumos e produtos
  • Garantir que as instalações dos fornecedores sejam operadas com segurança

-Direitos Humanos:

  • Saber das instalações dos fabricantes para garantir que eles não estejam usando trabalho ilegal, ou seja, análogo ao escravo,trabalho infantil,descumprindo leis trabalhista

-Compras de pequenas empresas locais:

  • Comprar de micro e pequenas empresas
  • Comprar de fornecedores locais ou regionais
  • As compras sustentáveis beneficiam o comprador, o mercado e a comunidade.
  • Diminuição dos impactos ao meio ambiente.
  • Diminuição da quantidade de resíduos para os aterros, além disso, economia de água e menor emissão de gases de efeito estufa
  • Redução da poluição da água e do ar.
  • Redução do consumo de recursos processados e naturais.
  • Promoção da segurança, saúde e igualdade.
  • Influencia as decisões de aquisição para apoiar aspectos de diversidade e igualdade
  • Promoção do desenvolvimento de infraestrutura física e comunidades locais.
  • Fortalecer a coesão e a inclusão social pela criação de oportunidades de negocio e emprego para grupos marginalizados ou desfavorecidos.

Como fazer compras sustentáveis?

  • As aquisições podem ser realizadas de diversas maneiras, mas, é importante seguir algumas regras que fazem diferença:
  • Consulte a embalagem e verifique as informações com o critério de sustentabilidade
  • Exija que a legislação seja cumprida e verifique a regulamentação sobre os serviços e produtos
  • Estimule os fornecedores a oferecerem produtos e serviços responsáveis, ou seja, corretos no âmbito ambiental e com preços competitivos
  • Incentive vendedores a fazerem a reciclagem e coleta de produtos usados
  • Informe-se sobre a performance ambiental dos produtos que consome
  • Discuta o assunto com colega e amigos
  • Divulgue sua ideias e postura nas compras

Seja mais um amigo do crescimento sustentável

 

POR QUE COMPRA SUSTENTÁVEL

Fontes: www.comprasustentavel.com.br

www.ibid.com.br

www.fgv.br/ces

Dicas de alimentação e nutrição durante a quarentena.

Dicas de alimentação e nutrição durante a quarentena.
Como os países estão adotando medidas mais fortes para conter a disseminação do COVID-19, contudo a quarentena e o fechamento temporário de negócios podem afetar as práticas normais relacionadas a alimentos.

Uma boa nutrição é crucial para a saúde, principalmente nos momentos em que o sistema imunológico pode precisar revidar.

Para ajudar as pessoas a se alimentar de forma saudável durante a quarentena e o isolamento, aqui vai um conjunto de dicas gerais .

Faça um plano – leve apenas o que você precisa

O comportamento de compra em pânico pode ter consequências negativas, como por exemplo o aumento dos preços dos alimentos, consumo excessivo de alimentos e distribuição desigual de produtos.

Portanto, é importante considerar suas próprias necessidades, bem como as dos outros.

Avalie o que você já tem em casa e planeje o que vai comer.

Seja estratégico sobre o uso de ingredientes

Use ingredientes frescos e aqueles que têm uma vida útil mais curta primeiro. Se os produtos frescos, especialmente frutas, vegetais e laticínios com baixo teor de gordura continuarem disponíveis, priorize-os em vez dos não-perecíveis.

Para evitar o desperdício de alimentos, considere congelar as sobras para outra refeição.

Prepare refeições caseiras

Passar longos períodos de tempo em casa agora pode oferecer a possibilidade de fazer as receitas que você anteriormente não tinha tempo para fazer.

Muitas receitas saudáveis ​​e deliciosas podem ser encontradas online, portanto aproveite a riqueza de informações disponíveis gratuitamente.

Aproveite as opções de entrega de alimentos

Embora as refeições caseiras devam ser priorizadas, algumas cidades e países têm sistemas de entrega bastante avançados para ingredientes e refeições prontas.

Tenha em mente que esses serviços podem estar sobrecarregados, considere explorar o que está disponível em sua área.

Leia também:

Dicas de alimentação e nutrição durante a quarentena.

Esteja ciente dos tamanhos das porções

Pode ser difícil acertar o tamanho das porções, principalmente ao cozinhar a partir do zero, consequentemente levando a excessos.

Fique ligado em seu peso, se mantenha ativo e não exagere nas refeiçoes.

Siga práticas seguras de manuseio de alimentos

Apenas comida segura é comida saudável. Ao preparar alimentos para si e para outras pessoas, é importante seguir boas práticas de higiene alimentar para evitar a contaminação e doenças transmitidas por alimentos.

  1. mantenha suas mãos, cozinha e utensílios limpos
  2. alimentos crus e cozidos separados, especialmente carne crua e produtos frescos
  3. cozinhe bem a sua comida
  4. mantenha sua comida em temperaturas seguras, abaixo de 5 ° C ou acima de 60 ° C; e
  5. use água potável e matéria-prima.

Limite sua ingestão de sal

A disponibilidade de alimentos frescos pode diminuir e, portanto, pode ser necessário confiar mais em alimentos enlatados, congelados ou processados.

Muitos desses alimentos contêm altos níveis de sal.

A OMS recomenda consumir menos de 5 g de sal por dia. Para conseguir isso, priorize alimentos com sal reduzido ou sem adição de sal.

Você também pode enxaguar alimentos enlatados, como legumes e feijão, para remover parte do excesso de sódio.

Limite sua ingestão de açúcar

A OMS recomenda que, idealmente, menos de 5% da ingestão total de energia para adultos seja proveniente de açúcares gratuitos (cerca de 6 colheres de chá).

Se você deseja algo doce, a fruta fresca deve sempre ser a prioridade.

Cuidado com as opções de baixo teor de gordura, pois elas geralmente contêm alto teor de açúcar.

Limite a quantidade de açúcar ou mel adicionado aos alimentos e evite adoçar suas bebidas.

Limite sua ingestão de gordura

A OMS recomenda limitar a ingestão total de gordura a menos de 30% da ingestão total de energia, dos quais não mais que 10% devem provir de gordura saturada.

Para isso, opte por métodos de cozimento que exijam menos ou nenhuma gordura, como cozinhar, grelhar ou refogar em vez de fritar alimentos.

Para limitar as gorduras saturadas, corte o excesso de gordura da carne e das aves e escolha opções sem pele.

Reduza alimentos como carnes vermelhas e gordurosas, manteiga e laticínios integrais, óleo de palma, óleo de coco, gordura sólida e banha de porco.

Evite gorduras trans, tanto quanto possível.

Fique hidratado

Uma boa hidratação é crucial para uma saúde ideal.

Sempre que disponível e segura para consumo, a água da torneira é a bebida mais saudável e barata.

É também o mais sustentável, pois não produz resíduos, em comparação com a água engarrafada.

Beber água em vez de bebidas açucaradas é uma maneira simples de limitar a ingestão de açúcar e o excesso de calorias.

 

Desfrute de refeições em família

O distanciamento social associado ao surto de COVID-19 fez com que muitas famílias passassem mais tempo em casa, o que oferece novas oportunidades para compartilhar refeições juntos.

As refeições em família são uma oportunidade importante para os pais serem modelos para uma alimentação saudável e para fortalecer os relacionamentos familiares.

Bom esperamos que essas dicas continuem a te ajudar a passar a quarentena de maneira sustentável e nutritiva!

Dicas de alimentação e nutrição durante a quarentena.

Fonte:

http://www.euro.who.int

 

 

 

Horta orgânica em casa

Horta orgânica em casa
Em tempos de pandemia, precisamos muitas vezes relaxar e ocupar nossas cabeças com alguma atividade, portanto prepare seu canteiro.

Um bom momento para iniciarmos projetos e continuarmos aqueles que estão ali parados. Você está pronto para fazer uma horta orgânica em casa?

Além de ser uma atividade relaxante, representa qualidade de vida, e da mesma forma promove um  envolvimento com a natureza quanto pela experiência de colocar a mão na terra para consumir o próprio alimento orgânico e fresco produzido em casa.

Veja como isso não só pode ser possível como pouco trabalhoso e econômico.

Escolha do local

Ela pode ser feita em um vaso e até mesmo em garrafas recicladas, organizadas em uma horta vertical que pode aproveitar o espaço ocioso.

Horta orgânica em casa

O local deverá receber luz solar sempre que possível, aproximadamente 5 ou 6 horas por dia, além de estar protegido contra o vento e em um local de fácil acesso.

É fundamental saber que cada planta possui uma necessidade específica de luz, portanto o que deve ser considerado durante o planejando de sua horta orgânica.

Solo

O solo deve ser fértil e “fofo” (na densidade adequada) para que a entrada de nutrientes coincida com o crescimento do sistema radicular e sua nutrição. Além da nutrição, existe a preocupação com irrigação do solo, que deve manter-se úmido, mas nunca encharcado, para que não ocorra a proliferação de fungos ou bactérias.

O solo para produzir em vasos, muito conhecido como substrato, deve ser preparado e ter tido a adubação orgânica correta.

Já para a manutenção nutricional do solo, é possível utilizar diversos adubos orgânicos como cascas de ovos que são uma excelente fonte de Cálcio ou o uso do Bokashi, um adubo rico em diversos nutrientes e totalmente orgânico que pode ser feito com ingredientes caseiros, como casca de ovos, borra de café, húmus.

Leia também:

Horta orgânica em casa

Cuidados e tratos culturais

o cuidado essencial é estar sempre atento ao nível de umidade do solo, controlando-o com cobertura seca (substrato, areia, húmus, matéria orgânica).

é preciso capinar o solo e retirar ervas daninhas que competem por nutrientes.

Controle de pragas e doenças

se você esperar a praga aparecer para tentar controlá-la pode já ser tarde demais. Quando se pensar em produzir orgânico, é indispensável que seja feita tanto a prevenção, quanto o controle de pragas, sendo que existem diversas formas de controlar pragas na horta orgânica e a maioria delas envolve receitas bastante simples e com ingredientes acessíveis.

As principais pragas encontradas em hortas, tanto em vasos quanto em ambientes maiores, são pulgões, lagartas e lesmas. Um inseticida natural muito utilizado e eficiente é o óleo de Neem.

Por fim

Alface, o almeirão, a couve, a cebolinha, o manjericão, a salsa e a hortelã são ótimas opções para se iniciar pois precisão somente do básico para que a planta se desenvolva com vigor: água, luz e um solo saudável.

Horta orgânica em casa

Aprender o básico sobre o cultivo das espécies antes de iniciar sua horta orgânica permite melhor compreender quais as necessidades específicas de cada espécie para seu bom desenvolvimento.

Horta orgânica em casa

Fonte: https://ciclovivo.com.br/

 

Diga não ao desperdício!

Diga não ao desperdício!

Combate ao desperdício de alimentos é certamente,o desafio do Brasil e do mundo nos próximos anos.

Reduzindo o desperdício de alimentos em passos.

Diga não ao desperdício!

Em média, o brasileiro descarta metade dos alimentos que são produzidos.
Isso acontece com uma enorme quantidade de alimentos , como consequência, lotam os nossos aterros sanitários todos os dias.
Estimativas da Organização das Nações Unidas para a Alimentação e a Agricultura (FAO) indicam que 1,3 bilhão de toneladas de alimentos são perdidos no planeta a cada ano, ou seja, cerca de 30% do total produzido.

 

  • 3,6 milhões de kg por dia
  • 2 mil kg por minuto
  • 870 milhões de pessoas poderiam ser alimentadas
  • 33 mil toneladas de frutas, verduras e legumes são descartados só nas feiras livres de SP
Leia também:

Veja como você pode ajudar a solucionar esse problema no seu dia a dia:

  1. Procure comprar alimentos de produtores locais: Ao fazer isso você fortalece a economia local, alem de evitar perdas de alimentos no transporte dos seus alimentos até chegarem ao supermercado.
    Procure feiras e hortas urbanas perto de você.
  2. Repense antes de jogar fora um alimento com aparente defeito: Muitas vezes eles são descartados mesmo estando em ótima qualidade.
  3. Já pensou em usar as sobras de alimentos, como cascas de frutas e legumes, para fazer receitas? A internet esta lotada de opções criativas e saborosas para você aproveitar 100% do que os alimentos podem nos oferecer, da mesma forma, frutas, que podem ser transformadas em compotas.

    Diga não ao desperdício!

  4. Planeje suas compras no mercado e faça uma lista com o que você precisa: Muitas pessoas adquirem uma grande quantidade de determinados produtos sem precisar deles, ou seja, comprar somente o que for necessário.
  5. Organize sua dispensa e verifique a data de validade dos produtos com frequência: Uma dica é colocar os itens que vão vencer primeiro na frente, como consequência, você consegue enxerga-los com facilidade para lembrar-se de consumir.
  6. Sobrou muita comida do almoço ou comprou legumes de mais? Em primeiro lugar, congele em pequenas porções para comer em outro dia, evitando que eles estraguem, em segundo lugar ao preparar a refeição, conte o numero de pessoas que vão comer para evitar o desperdício.
  7. Fique de olho no tempo que os produtos podem ficar na geladeira ou na despensa depois de abertos: Que a data de validade é importante todo mundo já sabe, porem, mas e a duração do produto aberto? Portanto é muito importante ler o rotulo das embalagens para ver quanto tempo cada alimento dura depois de aberto. Você pode escrever a data com uma caneta permanente na própria embalagem, como resultado, quando pegar um produto não se esquecera de sua validade.
  8. Potes transparentes: Sobrou comida?Na hora de guarda-la, escolha potes transparentes. Essa atitude simples permite que você veja e se lembre de que determinado alimento esta guardado. Caso contrario, você pode acabar se esquecendo e o alimento estragar.

Você sabia?

Diga não ao desperdício!

Os alimentos podem ser utilizados em diversas situações, alem das refeições. Hoje existem tecidos feitos a partir de cogumelos, plásticos feitos de cana de açúcar, borrachas feitas da massa madura do tomate e casca do ovo e por ai vai. A necessidade de buscarmos alternativas mais sustentáveis no dia-a-dia faz com que a ciência e a tecnologia evoluam para podermos chega a estas soluções.

Fontes:

www.comprasustentavel.com.br
www.nestle.com.br/sustentabilidade

Lixo Plástico

Lixo Plástico

Entre os maiores produtores de lixo plástico o Brasil está em 4º lugar.

Levantamento do WWF mostra os maiores produtores de lixo plástico do mundo. O Brasil esta em 4ºlugar no ranking, ou seja, país lidera o ranking dos que menos reciclam entre os dez maiores poluidores.

A pesquisa foi baseada no “What a Waste 2.0: A Global Snapshot of Solid Waste Management to 2050”, um estudo do Banco Mundial.

O WWF analisou dados de mais de 200 países.

Classificação dos maiores produtores:

  1. Estados Unidos
  2. China
  3. Índia
  4. Brasil
  5. Indonésia
  6. Rússia
  7. Alemanha
  8. Reino Unido
  9. Japão
  10. Canadá

BRASIL: 11,35 milhões de toneladas

O Brasil produz 11,35 milhões de toneladas anuais de lixo plástico. Recicla apenas 145 mil toneladas, 1,28% do total, contudo, os maiores produtores de lixo plástico, os norte-americanos reciclam 34,6% do lixo plástico. Contudo, a produção anual é alta: mais de 70 milhões de toneladas.

A China recicla 21,92% das 54,7 milhões de toneladas que produz por ano.

No total de resíduos plásticos produzidos no Brasil, 91% são coletados, segundo o WWF. Mas, no final, quase 8 milhões de toneladas não são reaproveitadas.Vão parar em aterros sanitários.Outras 2,4 milhões de toneladas são descartadas em lixões a céu aberto

Leia também:

Lixo Plástico

Plástico, desastre ambiental mundial

“Nosso método atual de produzir, usar e descartar o plástico esta fundamentalmente falido. Os maiores produtores de lixo plástico ainda não conseguiram debelar o problema.É um sistema sem responsabilidade.E atualmente opera de uma maneira que praticamente garante que volumes cada vez maiores de plástico
vazem para a natureza”,disse Marco Lambertini,direto-geral do WWFInternacional.

A instituição deixa claro, entretanto, que plástico não é “inerentemente nocivo”.Gera milhares de benefícios para a sociedade.

”Infelizmente,a maneira com a qual industrias e governos lidaram com o plástico e a maneira com a qual a sociedade o converteu em uma conveniência descartável transformou esta inovação em um desastre ambiental”

“Estimativas indicam que, desde 1950, mais de 160 milhões de toneladas de plástico já foram depositadas nos oceanos de todo o mundo. O material já esta em nossa cadeia alimentar. Ainda assim, estudos indicam que a poluição de plástico nos ecossistemas terrestres pode ser pelo menos quatro vezes maior do que nos
oceanos. Aproximadamente metade de todos os produtos plásticos que poluem o mundo hoje foi criada após 2000. Este problema tem apenas algumas décadas. Mas, ainda assim, 75% de todo o plástico produzido já foi descartado”.

Espécies ameaçadas pelo lixo plástico:

Segundo o WWF, os principais danos do plástico à natureza podem ser por exemplo, listados como estrangulamento, ingestão e danos ao habitat

“O estrangulamento de animais por pedaços de plástico já foi registrado em mais de 270 espécies, incluindo mamíferos, repteis, pássaros e peixes, ocasionando desde lesões agudas a ate crônicas, ou mesmo a morte. Esse estrangulamento é hoje uma das maiores ameaças à vida selvagem e conservação da biodiversidade. A ingestão de  plástico já foi registrada em mais de 240 espécies.A maior parte dos animais desenvolve ulceras e bloqueios digestivos que resultam em
morte,uma vez que o plástico muitas vezes não consegue passar por seu sistema digestivo”

Alimentos e água contaminados por plásticos:

Embora os impactos na saúde humana ainda sejam desconhecidos, varias pesquisas mostram que as pessoas têm consumido muito micro e nanoplastico.

Até no sal que usamos na cozinha há partículas de plástico “A probabilidade é maior com frutos do mar, especialmente mariscos, mexilhões e ostras, contudo, há diversas outras fontes de contaminação. Um estudo recente sobre água engarrafada constatou a contaminação por microplasticos de 93% das garrafas, proveniente de 11 marcas diferentes em nove países” lembra o estudo do WWF.

WWF orienta consumo consciente:

“Diante desses dados, a instituição dá as seguintes orientações para os consumidores:” Acione seus representantes no governo para garantir que adotem medidas para a redução, reciclagem e gestão dos resíduos plásticos de forma transparente e responsável. Faça uso de seu poder de consumidor e exija que as industrias demonstrem liderança através da redução da dependência do plástico descartável e desnecessário,enquanto investem em alternativas ecologicamente viáveis.Reduza seu consumo de plásticos desnecessários,alem de reutilizar e reciclar o que for utilizado”

Fontes:

www.comprasustentavel.com.br
www.marsemfim.com.br
www.estadão.com.br
https://revistapesquisa.fapesp.br/2019/07/08/planeta-plastico/

10 Atitudes Sustentáveis

10 Atitudes Sustentáveis

Nos só seremos sustentáveis quando fizermos de nossas preocupações uma ação rotineira e constante.
Tomar atitudes sustentáveis no dia a dia e ainda inseri-las no cotidiano de aprendizado da formação de filhos, netos, sobrinhos, alunos e ambiente de trabalho.

10 Atitudes:

1. Consumo de carne:

10 Atitudes Sustentáveis

Alem de produzir um numero impressionante de desmatamentos, a pecuária também é responsável por uma enorme emissão de gases
tóxicos no ar. Por isso, uma das atitudes mais eficientes que pode ser tomada em prol do planeta e da melhoria da qualidade de vida é
reduzir o consumo de carne, incluindo a branca.
Comece diminuindo as porções ao longo da semana e incentive seus filhos e conhecidos.
Sempre que possível, opte também por produtos orgânicos, que vem de animais que não ingerem agrotóxicos e são criados soltos. Tente levar a ideia para a escola do seu filho,cobrando mais alimentos vegetais nas cantinas e lanchonetes.

 

2. Comprar menos:

O melhor método para reduzir o lixo que produzimos no dia a dia é
também o mais simples: comprar menos

  • Menos roupas
  • Menos alimentos
  • Menos refrigerantes
  • Menos calçados
  • Menos eletrônicos
  • Menos eletrodomésticos
  • Menos carros….

 

3. Verbos certos:

  • Reduzir
  • Reutilizar
  • Reciclar

Uma vida mais sustentável é composta principalmente pelos três verbos citados. Esses verbos devem ser pensados na sequencia para otimizar quaisquer que sejam as iniciativas colocadas em pratica.Se reduzirmos ao resíduos,precisaremos reutilizar cada vez menos lixo e reciclar ainda menos.Por isso,antes de pensar a reciclagem,pense em como reduzir o volume de lixo que precisara receber um novo destino.No dia a dia ,alem de incentivar a pratica da coleta seletiva na escola,busque diminuir a quantidade de lixo produzido pela merenda de seu filho,por exemplo.
Reduza ouso de sacolas plásticas e providencie vasilhas seguras para que ele possa levar alimentos frescos, comprados a granel, como
lanche. Distribua canecas leves para todos os membros da família para que ninguém precise usar copos descartáveis no cotidiano.

 

4. Identifique o produtor:

Antes de comprar qualquer produto ,seja ele uma mesa, uma peça de roupa ou frutas e verduras para uma salada,identifique o produtor.
Se for industrializado observe rotulo e composição do produto. Valorize os produtores locais.

 

5. Horta:

10 Atitudes Sustentáveis

Para ajudar a natureza e ser um agente ativo da sustentabilidade comece uma pequena horta ou um jardinzinho seja em casa ou na escola de seu filho. Com as milhares de dicas sobre o assunto na internet, basta dar uma estudada. Falta de espaço não é problema.
Da para plantar em latas vazias de alimentos ou canecas.

Leia também:

10 Atitudes Sustentáveis

6. Impressões em papel:

Usar menos papel ainda é uma das atitudes mais eficientes que qualquer pessoa pode ter para manter florestas e poupar recursos naturais em suas tarefas cotidianas. Antes de imprimir, sempre se pergunte se é realmente necessário.
Também converse com os professores de seus filhos, buscando alternativas para o gasto de folhas de papel na escola.

 

7. Uso de carro:

Se você mora perto da escola de seu filho, o bom pode ser leva-lo a pé ou de bicicleta. Não sendo possível uma boa alternativa é oferecer carona para os coleguinhas dos filhos. Com um sistema de rodízio combinado, os pais diminuem a necessidade de usar seus carros, consequentemente diminuindo o impacto ao meio ambiente Transporte publico coletivo é uma excelente opção.

 

8. Uso racional da água:

Importante às praticas para economizar água-em qualquer ambiente.

  • Fechar torneira enquanto escova os dentes ou faz barba
  • Descarga de vasos sanitários sem vazamento e com dispositivo de economia
  • Banhos controlados e sem excesso de consumo
  • Uso de maquina de lavar roupas eficiente e programada
  • Lavagem de calçadas sem mangueira sempre aberta
  • Lavar pratos e talheres com método de economia

9. Energia elétrica:

O consumo de energia elétrica na residência funciona como um grande indutor de praticas sustentáveis para toda a família. Todos podem praticar e divulgarem os resultados e benefícios para todos os ambientes que frequentam.

  • Apagar luzes quando o ambiente esta sem uso
  • Desligar TV quando ninguém esta assistindo
  • Não deixar porta de geladeira aberta.
  • Não exagerar no banho quente
  • Cuidado com o uso do ar condicionado
  • Verificar a eficiência dos eletrodomésticos
  • Programar a passagem de roupa

10. Lixo

Estabelecer rotina em casa para separação do lixo e descarte em recipientes próprios para coleta seletiva é essencial para a educação ambiental de todos os integrantes da família. Os exemplos serão propagados para todos os ambientes frequentados pelos membros da família.
Exemplos:
Separar o lixo orgânico das latas de alumínio, embalagens de plástico, embalagens tetrapak, pilhas e baterias, lâmpadas, isopor,
papel e papelão, etc.

Padrão de cores para recipientes de lixo mais significativos:

  • azul: papel e papelão
  • vermelho: plástico
  • verde: vidro
  • amarelo: metal
  • marrom: orgânico

Atitudes sustentáveis são do dia a dia.

10 Atitudes Sustentáveis

 

10 Atitudes Sustentáveis

Fontes: www.comprasustentavel.com.br
www.novosalunos.com.br

Agricultura Orgânica

Agricultura Orgânica

Agricultura orgânica é expressão frequentemente usada para designar sistema sustentável de agricultura.

Agricultura Orgânica

Agricultura orgânica é expressão usada para designar sistema sustentável de agricultura que não permite o uso de produtos químicos sintéticos prejudiciais para a saúde humana e para o meio ambiente, tais como alguns tipos variados de fertilizantes e agrotóxicos, nem de organismos geneticamente modificados.

Os seus proponentes acreditam que, num solo saudável, mantido sem o uso de fertilizantes químicos sintéticos e agrotóxicos nãoorganicos, os alimentos tem qualidade superior à de alimentos convencionais.

Diversos países, como os Estados Unidos, o Japão, a União Europeia, a Austrália e o Brasil, já adotaram programas padrões para a regularização e desenvolvimento desta atividade.

Este sistema de produção, que exclui o uso de fertilizantes sintéticos, agrotóxicos nãoorgânicos e produtos reguladores de crescimento, têm, como base:

  • o uso de fertilizantes naturais.
  • a manutenção do solo protegido do sol e das gotas de chuva.
  • a rotação de culturas.
  • o aumento da biodiversidade.
  • consorciação de culturas.
  • adubação verde.
  • compostagem.
  • controle biológico de insetos e doenças.

Pressupõe, ainda, a manutenção da estrutura e da profundidade do solo, sem alterar suas propriedades por meio do uso de produtos químicos sintéticos.

 

CARACTERÍSTICAS

O principio da produção orgânica é o estabelecimento do equilíbrio da natureza utilizando métodos naturais de adubação e de controle de pragas.

O conceito de alimentos orgânicos não se limita à produção agrícola, estendendose também à pecuária (em que o gado deve ser criado sem remédios alopáticos ou hormônios), bem como ao processamento de todos os seus produtos: alimentos orgânicos industrializados também devem ser produzidos sem produtos químicos artificiais, como corantes e aromatizantes artificiais.

A cultura de produtos orgânicos não se limita a alimentos. Há uma tendência de crescimento no mercado de produtos orgânicos não alimentares, como fibras orgânicas de algodão.

 

Diferenças nutricionais entre alimento convencional e orgânico

Agricultura Orgânica

Os movimentos relacionados tanto a produção quanto ao consumo de alimentos orgânicos alegam como uma das vantagens o fato de terem diferenças nutricionais significativas em sua composição quando comparados com alimentos oriundos de sistemas convencionais. Desde então, varias pesquisas cientificas foram feitas com o objetivo de avaliar a ocorrência dessas diferenças. Em geral, são relatados aumentos na composição nutricional de alimentos orgânicos, especialmente na quantidade de micronutrientes, vitaminas e compostos bioativos.

 

Diferenças econômicas entre alimento convencional e orgânico

Produtos orgânicos oferecem maior garantia para o consumidor quando se trata de saúde e origem do que esta sendo consumido,levando a uma preferência no consumo,alem da sustentabilidade no quesito ambiental,social e ético proporcionada pela pratica da agricultura orgânica.Portanto, na esfera socioeconômica,eles acabam apresentando um maior valor quando comparados a alimentos convencionais . Porem eles apresentam preços superiores e não são competitivos com a agricultura convencional para a produção de alimentos em massa.

#Fazse necessária uma regulamentação da atividade orgânica no Brasil, junto a um incentivo da produção orgânica, com legislação que apoie esses produtores, possibilitando uma competitividade maior com a agricultura convencional de produção de alimentos em massa.

 

Leia também:

Agricultura Orgânica

Resíduos de agrotóxicos

Políticas no Brasil, com foco em exportação de commodities agrícolas, fez do país um dos maiores consumidores de agrotóxicos no mundo. O uso crescente de agrotóxicos sob controle pouco rígido e eficaz, desprotege a população de seus efeitos nocivos, sobretudo aqueles que se encontram em maior risco de contaminação, como trabalhadores e moradores de zonas rurais.

A função dos agrotóxicos na agricultura convencional é possibilitar a grande produção, evitando pragas e doenças nas plantações. Aplicação indiscriminada leva à contaminação dos solos e dos recursos hídricos. Alem da degradação ambiental, os alimentos em contato com esses produtos químicos podem apresentar algum grau de contaminação.

O consumo de alimentos contaminados é prejudicial à saúde

 

CERTIFICAÇÃO

Agricultura Orgânica

A certificação de orgânicos é um tema novo no Brasil e há indícios de que uma maior transparência no processo de certificação e maiores dados ao consumidor final poderão aumentar o mercado dos orgânicos no país. Atualmente a certificação dos orgânicos no Brasil é controlada pelo Ministério da Agricultura através do SISORG. Para pertencer ao Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos, existem três formas de certificação, são elas:

 

  • Certificação por Auditoria
  • Sistema Participativo de Garantia
  • Controle Social na Venda Direta.

A qualidade do produto esta relacionada não só com seu aspecto visual, mas com a reputação do produtor e da certificação.

 

Agricultura Orgânica

Fontes: wikipédia.org

: comprasustentavel.com.br

: aao.org.br

Imposto sobre a carne

Imposto sobre a carne

Alemanha debate aumentar imposto sobre a carne para proteger clima

Políticos alemães do Partido Social Democrata e do Partido Verde propuseram aumentar o imposto sobre a carne para proteger o clima e melhorar o bemestar dos animais confinados.

A proposta prevê que o Imposto sobre o Valor Agregado (IVA) da carne passe dos atuais 7%,taxa reduzida cobrada na maioria dos alimentos no país,para 19%.A carne mais cara poderia,em teoria,reduzir o consumo deste produto,uma vez que alguns deixariam de comprar a proteína animal para economizar.

Alguns integrantes do partido argumentaram que pesquisas mostram que o setor pecuário é responsável por cerca de 14,5% das emissões globais de gases de efeito estufa.Ao produzirem metano e outros gases,os animais impulsionam as mudanças climáticas.O volume destas emissões é comparável a todos gerados por carros,aviões,navios e outros transportes.

Na primeira metade de 2019, os abatedouros na Alemanha mataram 29,4 milhões de porcos, vacas, cabras e cavalos, afirmou o Escritório Federal de Estatísticas.

Os legisladores propuseram ainda usar os fundos adicionais arrecadados com o aumento do imposto para melhorar o bemestar dos animais confinados no país, em um momento em que a indústria da carne esta sob crescente critica pela forma como trata os animais.

O portavoz para a agricultura da União Democrata Cristã (CDU), Albert Stegemann, disse estar aberto aos planos “Tal imposto pode ser uma proposta construtiva. Porem, as receitas fiscais adicionais devem ser usadas para apoiar os criadores de gado para ajudalos a se reestruturar” afirmou Stegemann,que faz parte do partido da chanceler federa Angela Merkel

Já a ministra da agricultura, Julia Klockner, afirmou que as propostas mostraram a importância de apoiar os pecuaristas em meio ao declínio do consumo de carne, mas que não era necessário aumentar o IVA sobre a carne para isso. Ela sublinhou que os agricultores não devem sofrer as consequências dos esforços do governo.

O consumo de carne passou por um crescente escrutínio durante a ultima década, com dietas sem carne, como o vegetarianismo e o veganismo, ganhando força em todo o mundo.

Os cientistas afirmam que a indústria da carne é uma das maiores emissoras de CO2, um dos principais causadores do aquecimento global. Eles pedem medidas ousadas voltadas a diminuir o consumo da proteína animal para combater as mudanças climáticas.

Os partidos de oposição, incluindo as legendas A Esquerda e o populista de direita Alternativa para a Alemanha (AfD) ,rejeitaram a proposta.
Leia também:

Imposto sobre a carne

Brasil

O Brasil é um dos maiores produtores de carne bovina no mundo, resultado de décadas de investimento em tecnologia que elevou não só a produtividade como também a qualidade do produto brasileiro, fazendo com que ele se tornasse competitivo e chegasse ao mercado de mais de 150 países.

 

Imposto sobre a carneEm 2015 o país se posicionou com o maior rebanho (209 milhões de cabeças), o segundo maior consumidor e o segundo maior exportador de carne bovina do mundo, tendo abatido mais de 39 milhões de cabeças.

A exportação de carne bovina já representa 3% das exportações brasileiras. Representa 6% do Produto Interno Bruto (PIB) ou 30% do PIB do Agronegócio.

 

CO2:

O rebanho bovino brasileiro emitiu 392 milhões de toneladas de gases de efeito estufa em 2016.

Isso equivale a 17% de todas as emissões de gás carbônico no Brasil naquele ano

Fontes: www.embrapa.br

www.bol.uol.com.br

Observatório do Clima

www.comprasustentavel.com.br

Automação na Agricultura

Automação na Agricultura

Automação e rastreamento na cadeia agro reduzem desperdício

A Empresa Brasileira de Pesquisa e Agropecuária estuda uma forma de tornar a tecnologia de código de barras, QR Codes e etiquetas eletrônicas acessíveis a produtores de todos os portes.

 

Uma das parcerias da Embrapa é com a Associação Brasileira de AutomaçãoGS1 Brasil, que já desenvolveu ações com supermercados para rastrear frutas e verduras.

O objetivo é tornar a agricultura mais sustentável”

Há sistemas assim em certas etapas do cultivo da soja, milho e algodão e da criação de gado, mas não de uma forma totalmente integrada.

Com informações desde a origem, como a de uma semente, por exemplo, é possível mapear o tipo mais adequado a cada região, quando é melhor plantar e sob quais técnicas. Os dados de origem, associados a outros permitem o uso mais racional do solo, da água, dos tratores etc.

A rastreabilidade integral gera uma base de dados para que os produtores melhorem sua gestão financeira, com redução de perdas.

A informação mais qualificada, como peso dos produtos, por exemplo, permite calcular melhor o transporte e reduzir a emissão de CO². Faz diferença não só nos negócios, mas no ambiente, usar 90 em vez de 100 caminhões.

 

 

 

Qual a relação entre a produção agrícola, sustentabilidade e meio ambiente?

A sustentabilidade e meio ambiente tem sido um dos principais enfoques na agricultura nas ultimas décadas. A comunidade de pesquisadores, agricultores, agrônomos e demais profissionais tem buscado incessantemente sistemas de produção agrícola que possam aliar os quatros pilares da sustentabilidade e ao mesmo tempo garantir a boa produtividade e o lucro para o produtor.

Os chamados quatro pilares da sustentabilidade:

.Ecologicamente corretos

.Economicamente viável

.Socialmente justo

.Tecnicamente aplicável

Em um mundo industrializado e competitivo, onde a demanda por alimentos e maiores produções cresce cada vez mais, o cuidado e preocupação com o meio ambiente acaba sendo deixado de lado e o lucro econômico acaba se tornando o único objetivo da produção agrícola. Por esse motivo, muitas praticas como utilização de monoculturas de soja, revolvimentos ocasionais do solo e uso excessivo de pesticida tem se tornado comum na agricultura no Brasil onde o ataque de pragas e doenças é intenso devido ao clima favorável

Leia também:

Automação na Agricultura

O que o setor agrícola tem feito?

Grande parte dos problemas enfrentados na agricultura podem ser controlados através de praticas sustentáveis de produção agrícola como o sistema plantio direto. Sistemas integrados de produção, como integração lavourapecuaria, lavourapecuariafloresta e sistemas de consorcio tem se destacado pela sua eficiência tanto no aumento da lucratividade do produtor como na preservação da sustentabilidade e meio ambiente.

Portanto as ações para tornar a tecnologia de código de barras, QR Codes e etiquetas eletrônicas acessíveis a produtores de todos os portes e de fundamental importância para a produção agrícola sustentável.

 

Exemplos:

Atualmente podese utilizar varias empresas com projetos de automação e rastreamento nas suas produções.

.Reserva Votorantimreflorestamento

.Nestlé produção de leite

.Marfrig proteína animal

.Citrícola Lucato laranja

.Vapza comida embalada

Podemos dizer que sustentabilidade e meio ambiente sempre andam de mãos dadas. A sustentabilidade é basicamente a capacidade que o ser humano possui de usufruir dos recursos naturais presentes no planeta sem comprometêlos para as gerações futuras.

Fontes: seminários folhaagronegócio sustentável

blog.agropro.com.br

comprasustentavel.com.br

 

Automação na Agricultura

 

Azeite de Dendê

Azeite de Dendê

Azeite de dendê, também conhecido como óleo de palma.

Azeite de Dendê

Quem tem o habito de ler os rótulos dos produtos alimentícios antes de compralos, sempre se depara com as palavras “óleo vegetal”, que, sem especificar de qual vegetal se trata, a inscrição pode esconder a presença do óleo de palma, um óleo muito utilizado pela indústria e cada vez mais associado a problemas de saúde e ambiental.

Por ser um óleo versátil e de baixo custo, também na indústria de cosméticos o óleo de palma vem sendo usado com frequência na fabricação de cremes, sabonetes e detergentes destinados à higiene pessoal. E, na indústria alimentícia, este óleo esta presente também em produtos ditos “saudáveis”: orgânicos, vegetarianos, veganos, etc.

 

Mas por que este óleo faz mal a saúde e ao ambiente?

O problema é o seu elevado teor de gordura saturada, que pode chegar a 50% no caso do óleo de palma derivado da fruta e a 80% no caso do óleo extraído da semente de palma, um ótimo componente para aumentar os níveis de colesterol ruim no sangue.

Para ser usado pela indústria, este óleo fica em um estado oxidado com uma consistência semisolida a temperatura ambiente, o que é muito útil para as suas utilizações química e alimentícia, mas a sua oxidação pode causar diverso tipos de intoxicação ao corpo. No entanto, o óleo de palma bruto (não refinado) é muito rico em betacaroteno e vitamina E, mas quando refinado, aquecido ou modificado, perde muitos destes benefícios.

Leia também:

Azeite de Dendê

Ao Ambiente

Financeiramente, o óleo de palma é um óleo de baixo custo de produção e é essa a causa da sua utilização maciça nos últimos anos para responder á demanda de uma indústria que precisa de um óleo versátil, de baixo custo e utilizável em muitos campos de aplicação.

Mas o cultivo do óleo de palma (azeite de dendê) esta subtraindo florestas de valores inestimáveis, que abrigam ecossistemas únicos no mundo, como as florestas da Indonésia, que vem sendo queimadas frequentemente para darem espaço às novas mudas da planta produtora do óleo de palma. Alem da destruição da biodiversidade local, a fumaça causada pelo fogo emite muito CO2 na atmosfera.

Os biomas mais prejudicados são as florestas da Malásia e da Indonésia, onde se produzem 87% do óleo de palma consumido no mundo. O Brasil não é um grande produtor, contribui para 0,5 % da produção mundial. A maior vinda do Para.

Muitos produtores estão escrevendo em suas embalagens:

“ não contem óleo de palma”

Em vista do consumidor cada vez mais informado e preocupado com a própria saúde e com a preservação da natureza.

 

Do que é feito o azeite de dendê no Brasil

Azeite de Dendê

O azeite de dendê é o resultado do esmagamento das sementes de um tipo de palmeira, chamada dendezeiro, que apesar de ser típica da África foi trazida para o Brasil pelos portugueses na época da colonização. Para sua preparação é necessário colher os frutos da palmeira e cozinhar usando água ou vapor que permite que a polpa seja separada da semente. A seguir a polpa é pressionada e o óleo liberado, tendo a mesma cor alaranjada do fruto.

O azeite de dendê serve para temperar alimentos, como saladas, ou dar sabor em refogados, como o caruru, sendo um ingrediente indispensável na culinária baiana.

 

Fontes: www.greenme.com.br

www.tuasaude.com.br

www.comprasustentavel.com.br