Reciclagem e o Consumidor

Reciclagem e o Consumidor

A pandemia da Covid-19 provocou mudanças na economia, no trabalho e nos hábitos.

O distanciamento social transformou, certamente, a casa em escritório, escola e academia, e o cuidado com os resíduos gerados ganhou mais importância e visibilidade.

Como ficaram mais tempo em casa ou continuam em casa, as pessoas perceberam o quanto de lixo geram, o quanto de trabalho tiveram para o descarte, além disso, o desperdício promovem.

No inicio da pandemia, com menor circulação de pessoas, a geração de lixo nas cidades caiu em torno de 9% conforme, pesquisa da Abrelpe, Associação de Empresas de Limpeza Pública. Porem a quantidade de recicláveis coletados cresceu.

Com as pessoas de maior conhecimento técnico sobre a separação dos resíduos e conscientização de preservação ambiental,como resultado, temos um aumento a coleta seletiva.

No entanto, o aumento da coleta em volume e peso, a cadeia de reciclagem não se beneficiou em razão do fechamento ou diminuição das atividades das cooperativas e unidades de triagem de lixo.

A pandemia por suas características e aspectos inéditos surpreendeu a todos e geraram múltiplas novas situações.

Aumentou o volume de coleta seletiva, mas as cooperativas fecharam pela quarentena.

A reciclagem dos resíduos gerados pela sociedade depende fundamentalmente das atitudes dos consumidores.

O consumidor ao descartar de forma correta os resíduos, alem de gerar renda para as pessoas que dependem da coleta de materiais recicláveis, contribui de forma decisiva para o crescimento sustentável do planeta, com a proteção ambiental.

Porem o descarte correto dos resíduos exige conhecimentos e vontade de participar como cidadão do projeto de crescimento sustentável do planeta.

Reciclagem e o Consumidor

Vamos a um exemplo: como as embalagens cartonadas para alimentos e bebidas ditas “longa vida” podem ser recicladas?Desde a fabricação das caixinhas pela indústria existe a preocupação ambiental, tendo em grande parte da composição meterias-primas de fontes renováveis. Ao serem descartadas corretamente após o uso, são totalmente recicláveis.

Depende do consumidor o caminho que as embalagens pós-consumo terão.Sem o descarte correto elas acabam em lixões e aterros sem utilização para reciclagem.

Dificuldades:

No nosso exemplo, o descarte correto, das embalagens de leite, sucos e outros alimentos devem ser lavados com água de reuso se tiver, ou água existente, para retirar o excesso de material orgânico e evitar mau cheiro, já que elas percorrem um longo caminho até os recicladores.

Nas caixinhas longa vida, o próximo passo é abrir as abas laterais e deixa-las compactas. Isso fará com que o volume diminua. A tampa de plástico, se deixada na caixinha, e o canudinho, se empurrado para dentro, serão reciclados juntamente com a embalagem.

Feito isso, o material deve seguir para a coleta seletiva ou ser depositado em Pontos de Entrega Voluntaria.

Tem que estar conscientizado e ser esforçado

Nem todas as cidades possuem coleta seletiva para as residências, o que dificulta e muito a reciclagem.

Em muitos municípios, o descarte exige um esforço extra das pessoas, que tem de levar os resíduos até um ponto de coleta.

Porem existem vários matérias que não oferecem dificuldades extras para serem encaminhados para a coleta seletiva.

Reciclagem e o Consumidor

Reciclagem e o Consumidor

Obviamente que hoje se exige esforços e responsabilidades dos fabricantes dos produtos, na coleta, reuso e reciclagem das embalagens descartadas pelo consumidor.

Os produtores e comercializadores devem participar responsavelmente na redução, reuso, reciclagem e reintrodução na cadeia produtiva dos materiais provenientes dos resíduos dos consumidores.

Fazer reciclagem é fundamental para o crescimento sustentável

Reciclagem e o Consumidor

Seja um consumidor consciente

 

Fontes : www.comprasustentavel.com.br

www.estudio.folha.com.br

 

Dicas de alimentação e nutrição durante a quarentena.

Dicas de alimentação e nutrição durante a quarentena.
Como os países estão adotando medidas mais fortes para conter a disseminação do COVID-19, contudo a quarentena e o fechamento temporário de negócios podem afetar as práticas normais relacionadas a alimentos.

Uma boa nutrição é crucial para a saúde, principalmente nos momentos em que o sistema imunológico pode precisar revidar.

Para ajudar as pessoas a se alimentar de forma saudável durante a quarentena e o isolamento, aqui vai um conjunto de dicas gerais .

Faça um plano – leve apenas o que você precisa

O comportamento de compra em pânico pode ter consequências negativas, como por exemplo o aumento dos preços dos alimentos, consumo excessivo de alimentos e distribuição desigual de produtos.

Portanto, é importante considerar suas próprias necessidades, bem como as dos outros.

Avalie o que você já tem em casa e planeje o que vai comer.

Seja estratégico sobre o uso de ingredientes

Use ingredientes frescos e aqueles que têm uma vida útil mais curta primeiro. Se os produtos frescos, especialmente frutas, vegetais e laticínios com baixo teor de gordura continuarem disponíveis, priorize-os em vez dos não-perecíveis.

Para evitar o desperdício de alimentos, considere congelar as sobras para outra refeição.

Prepare refeições caseiras

Passar longos períodos de tempo em casa agora pode oferecer a possibilidade de fazer as receitas que você anteriormente não tinha tempo para fazer.

Muitas receitas saudáveis ​​e deliciosas podem ser encontradas online, portanto aproveite a riqueza de informações disponíveis gratuitamente.

Aproveite as opções de entrega de alimentos

Embora as refeições caseiras devam ser priorizadas, algumas cidades e países têm sistemas de entrega bastante avançados para ingredientes e refeições prontas.

Tenha em mente que esses serviços podem estar sobrecarregados, considere explorar o que está disponível em sua área.

Leia também:

Dicas de alimentação e nutrição durante a quarentena.

Esteja ciente dos tamanhos das porções

Pode ser difícil acertar o tamanho das porções, principalmente ao cozinhar a partir do zero, consequentemente levando a excessos.

Fique ligado em seu peso, se mantenha ativo e não exagere nas refeiçoes.

Siga práticas seguras de manuseio de alimentos

Apenas comida segura é comida saudável. Ao preparar alimentos para si e para outras pessoas, é importante seguir boas práticas de higiene alimentar para evitar a contaminação e doenças transmitidas por alimentos.

  1. mantenha suas mãos, cozinha e utensílios limpos
  2. alimentos crus e cozidos separados, especialmente carne crua e produtos frescos
  3. cozinhe bem a sua comida
  4. mantenha sua comida em temperaturas seguras, abaixo de 5 ° C ou acima de 60 ° C; e
  5. use água potável e matéria-prima.

Limite sua ingestão de sal

A disponibilidade de alimentos frescos pode diminuir e, portanto, pode ser necessário confiar mais em alimentos enlatados, congelados ou processados.

Muitos desses alimentos contêm altos níveis de sal.

A OMS recomenda consumir menos de 5 g de sal por dia. Para conseguir isso, priorize alimentos com sal reduzido ou sem adição de sal.

Você também pode enxaguar alimentos enlatados, como legumes e feijão, para remover parte do excesso de sódio.

Limite sua ingestão de açúcar

A OMS recomenda que, idealmente, menos de 5% da ingestão total de energia para adultos seja proveniente de açúcares gratuitos (cerca de 6 colheres de chá).

Se você deseja algo doce, a fruta fresca deve sempre ser a prioridade.

Cuidado com as opções de baixo teor de gordura, pois elas geralmente contêm alto teor de açúcar.

Limite a quantidade de açúcar ou mel adicionado aos alimentos e evite adoçar suas bebidas.

Limite sua ingestão de gordura

A OMS recomenda limitar a ingestão total de gordura a menos de 30% da ingestão total de energia, dos quais não mais que 10% devem provir de gordura saturada.

Para isso, opte por métodos de cozimento que exijam menos ou nenhuma gordura, como cozinhar, grelhar ou refogar em vez de fritar alimentos.

Para limitar as gorduras saturadas, corte o excesso de gordura da carne e das aves e escolha opções sem pele.

Reduza alimentos como carnes vermelhas e gordurosas, manteiga e laticínios integrais, óleo de palma, óleo de coco, gordura sólida e banha de porco.

Evite gorduras trans, tanto quanto possível.

Fique hidratado

Uma boa hidratação é crucial para uma saúde ideal.

Sempre que disponível e segura para consumo, a água da torneira é a bebida mais saudável e barata.

É também o mais sustentável, pois não produz resíduos, em comparação com a água engarrafada.

Beber água em vez de bebidas açucaradas é uma maneira simples de limitar a ingestão de açúcar e o excesso de calorias.

 

Desfrute de refeições em família

O distanciamento social associado ao surto de COVID-19 fez com que muitas famílias passassem mais tempo em casa, o que oferece novas oportunidades para compartilhar refeições juntos.

As refeições em família são uma oportunidade importante para os pais serem modelos para uma alimentação saudável e para fortalecer os relacionamentos familiares.

Bom esperamos que essas dicas continuem a te ajudar a passar a quarentena de maneira sustentável e nutritiva!

Dicas de alimentação e nutrição durante a quarentena.

Fonte:

http://www.euro.who.int

 

 

 

Faça exercícios em casa – COVID 19

Faça exercícios em casa – COVID 19
Professores da USP (Universidade de São Paulo), recomendam atividades simples para aqueles que estão conseguindo ficar em casa durante a quarentena, ou seja, hoje vamos nos movimentar.

Para auxiliar as pessoas a se manterem ativas nesse período, professores da USP disponibilizaram dicas pela internet.

Faça exercícios em casa – COVID 19

A exemplo do professor Bruno Gualano, da Faculdade de Medicina da USP, e de seu grupo de pesquisa de Fisiologia Aplicada e Nutrição criaram materiais com sugestões de atividades físicas.

O grupo é formado por docentes, pesquisadores e alunos de graduação e pós-graduação da USP.

“Num momento de crise como o que se apresenta, é nossa função trazer à sociedade recomendações baseadas na ciência sobre como se manter saudável”, explica Gualano.

O professor explica que a insuficiência de atividade física é um dos fatores de risco mais importantes para mortalidade e morbidade.

“Em poucos dias de inatividade, sabemos que a função muscular e a saúde metabólica se deterioram de maneira importante. Por isso, é imprescindível que nos mantenhamos ativos, mesmo em condições de confinamento”, explicou.

Leia também:

Faça exercícios em casa – COVID 19

Todas as idades

Segundo o professor, pessoas de todas as idades precisam praticar atividades físicas.

Para as crianças, vale a criatividade dos pais para recriar exercícios em casa, já que as brincadeiras em grupo e parquinhos são contraindicadas devido à possibilidade de contaminação pela covid-19.

Para os adultos e idosos, o ideal é seguir recomendações de profissionais capacitados.

O objetivo é trazer, de modo seguro e divertido, práticas que foram planejadas para os pacientes que participam das pesquisas do grupo, mas foram adaptadas e podem ser seguidos por quem desejar.

“É importante ressaltar que a pessoa que possui alguma doença conhecida e é inativa precisa consultar seu médico (mesmo que à distância) antes de se engajar num programa de exercícios”, recomendou o professor.

Os materiais produzidos pelo grupo Fisiologia Aplicada e Nutrição podem ser encontrados no canal Ciência InForma, disponível no YoutubeInstagram e Facebook.

O professor Vinicius Heine também disponibilizou materiais para incentivar a prática de atividades físicas durante o período de isolamento.

Ele ministra aulas de Capoeira e Condicionamento Físico Integrado no Centro de Práticas Esportivas da USP (Cepeusp), em São Paulo.

Em uma série de vídeos, ele demonstra como realizar alguns exercícios.

“É importante que a pessoa evite a realização de movimentos que ache difíceis ou que tenha dúvidas quanto à forma correta de execução. Também pessoas que têm restrições médicas para exercícios físicos devem evitar a realização dos mesmos”, disse Heine.

 

Fonte:

www.saopaulo.sp.gov.br

 

Horta orgânica em casa

Horta orgânica em casa
Em tempos de pandemia, precisamos muitas vezes relaxar e ocupar nossas cabeças com alguma atividade, portanto prepare seu canteiro.

Um bom momento para iniciarmos projetos e continuarmos aqueles que estão ali parados. Você está pronto para fazer uma horta orgânica em casa?

Além de ser uma atividade relaxante, representa qualidade de vida, e da mesma forma promove um  envolvimento com a natureza quanto pela experiência de colocar a mão na terra para consumir o próprio alimento orgânico e fresco produzido em casa.

Veja como isso não só pode ser possível como pouco trabalhoso e econômico.

Escolha do local

Ela pode ser feita em um vaso e até mesmo em garrafas recicladas, organizadas em uma horta vertical que pode aproveitar o espaço ocioso.

Horta orgânica em casa

O local deverá receber luz solar sempre que possível, aproximadamente 5 ou 6 horas por dia, além de estar protegido contra o vento e em um local de fácil acesso.

É fundamental saber que cada planta possui uma necessidade específica de luz, portanto o que deve ser considerado durante o planejando de sua horta orgânica.

Solo

O solo deve ser fértil e “fofo” (na densidade adequada) para que a entrada de nutrientes coincida com o crescimento do sistema radicular e sua nutrição. Além da nutrição, existe a preocupação com irrigação do solo, que deve manter-se úmido, mas nunca encharcado, para que não ocorra a proliferação de fungos ou bactérias.

O solo para produzir em vasos, muito conhecido como substrato, deve ser preparado e ter tido a adubação orgânica correta.

Já para a manutenção nutricional do solo, é possível utilizar diversos adubos orgânicos como cascas de ovos que são uma excelente fonte de Cálcio ou o uso do Bokashi, um adubo rico em diversos nutrientes e totalmente orgânico que pode ser feito com ingredientes caseiros, como casca de ovos, borra de café, húmus.

Leia também:

Horta orgânica em casa

Cuidados e tratos culturais

o cuidado essencial é estar sempre atento ao nível de umidade do solo, controlando-o com cobertura seca (substrato, areia, húmus, matéria orgânica).

é preciso capinar o solo e retirar ervas daninhas que competem por nutrientes.

Controle de pragas e doenças

se você esperar a praga aparecer para tentar controlá-la pode já ser tarde demais. Quando se pensar em produzir orgânico, é indispensável que seja feita tanto a prevenção, quanto o controle de pragas, sendo que existem diversas formas de controlar pragas na horta orgânica e a maioria delas envolve receitas bastante simples e com ingredientes acessíveis.

As principais pragas encontradas em hortas, tanto em vasos quanto em ambientes maiores, são pulgões, lagartas e lesmas. Um inseticida natural muito utilizado e eficiente é o óleo de Neem.

Por fim

Alface, o almeirão, a couve, a cebolinha, o manjericão, a salsa e a hortelã são ótimas opções para se iniciar pois precisão somente do básico para que a planta se desenvolva com vigor: água, luz e um solo saudável.

Horta orgânica em casa

Aprender o básico sobre o cultivo das espécies antes de iniciar sua horta orgânica permite melhor compreender quais as necessidades específicas de cada espécie para seu bom desenvolvimento.

Horta orgânica em casa

Fonte: https://ciclovivo.com.br/

 

Mercado Livre lança categoria para produtos sustentáveis

Mercado Livre lança categoria para produtos sustentáveis

Nova categoria no site de comércio eletrônico vai reunir produtos que se propõem a ter impacto ambiental e social positivo.

Mercado Livre lança categoria para produtos sustentáveis

O Mercado Livre lançou oficialmente, no dia 21 de agosto, uma categoria permanente de produtos sustentáveis em sua plataforma. Composta por itens que geram algum tipo de impacto positivo para a sociedade ou para o planeta, a oferta vai desde alimentos e produtos de beleza orgânicos, utensílios domésticos,  artigos reutilizáveis, artesanato até bicicletas, placas solares e composteiras.

A seção, que reúne mais de 5000 produtos no Brasil também estará disponível em outros países onde o Mercado Livre atua: Argentina, Chile, Colômbia, México, Peru, Uruguai e Venezuela. A proposta reforça o posicionamento de sustentabilidade da companhia e vai de encontro com as tendências crescentes relacionadas à importância de aspectos ambientais e sociais nas decisões de consumo.

Um estudo realizado pela empresa com 18 mil compradores no Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, México, Peru e Uruguai revelou que 94% dos entrevistados expressam estar familiarizados com o conceito de “consumo responsável”. Os brasileiros estão entre os menos familiarizados com o tema, são 89%. Enquanto os mexicanos são os que estão mais por dentro do assunto: 96%. Com relação à preocupação com questões ambientais, 7 em cada 10 latino-americanos disseram estar “muito preocupados” com a atual situação do planeta.

O estudo mostrou também que a preocupação com considerações ambientais e sociais na hora de escolher um produto online é mais acentuada entre os millenials (20% dos entrevistados) e é mais perceptível nas pessoas que têm filhos (73% da amostra). Além, disso, 9 de 10 millennials latino-americanos levam em conta o impacto ambiental em decisões de compra.

Além das questões relacionadas à demanda, a pesquisa buscou entender a percepção dos participantes em relação a oferta desses produtos no mercado e apenas 11% das pessoas pesquisadas disseram que sempre encontram o que estão procurando nesse sentido.

Os empreendedores e lojistas interessados em ter seus produtos na seção de sustentabilidade podem se inscrever neste link. Para participar é necessário que os itens ofertados gerem impactos socioambientais positivos e estejam publicados no Mercado Livre. Todos os produtos passam por uma curadoria especializada antes de serem incluídos na seção.

Mercado Livre lança categoria para produtos sustentáveis

Leia também:

Mercado Livre lança categoria para produtos sustentáveis

Hábitos de consumo, decisões de compra e frequência em números

  • Em relação à frequência de compra de produtos que cuidam da saúde ou do meio ambiente, 66% das pessoas pesquisadas pela pesquisa da empresa declaram fazê-lo pelo menos uma vez por semana.
  • Quando questionados sobre as principais razões para comprar produtos com impacto positivo, mais da metade dos entrevistados em todos os países os correlaciona diretamente com sua boa qualidade. Preocupações sobre o futuro e o bem-estar das próximas gerações também estão entre os motivos mais comuns destacados em toda a região.
  • Apenas 26% dos entrevistados afirmam que estão dispostos a pagar mais por produtos que consideram ter um impacto positivo, mas metade optaria por essa versão se o preço fosse o mesmo.
  • Foram identificados quatro hábitos principais para cuidar do meio ambiente entre os millenials:

a) 22% apagam as luzes quando saem de um ambiente;

b) 16% evitam sacolas plásticas ao fazerem compras;

c) 13% reparam produtos danificados ou quebrados;

d) 9% compram produtos reciclados.

 

Fonte:

https://ideias.mercadolivre.com.br/ 

 

Jogo dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Jogo dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Enfrente a quarentena da COVID-19 com o jogo dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável

Em tempos de quarentena da COVID-19, o Centro de Informação das Nações Unidas para o Brasil (UNIC Rio) tem uma dica para distrair as crianças dentro de casa: o jogo “Viva os Objetivos”, que explica tudo sobre a Agenda 2030 e os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável. O material está disponível gratuitamente para download em português e é destinado para crianças de 8 a 10 anos, podendo entreter a família toda.

 Jogo dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável
O ONU-HABITAT promoveu em Maceió (AL) atividades com crianças para promover os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) por meio de jogos de tabuleiro, denominados “Viva os Objetivos!”. Foto: ONU-HABITAT

De forma lúdica e didática, o jogo de tabuleiro apresenta perguntas para os principais desafios enfrentados para transformar a Terra num planeta mais sustentável.

A Agenda 2030 foi acordada por todos os países-membros da ONU para acabar com a pobreza, promover a prosperidade e o bem-estar para todos, proteger o meio ambiente e enfrentar as mudanças climáticas.

O jogo dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável “Viva os Objetivos!” foi criado pelo Centro Regional de Informação Pública das Nações Unidas (UNRIC), em parceria com o artista Yacine Ait Kaci (YAK), criador do Elyx.

Clique aqui para fazer o download do jogo.

Leia também:

 

fonte:

https://nacoesunidas.org/

Como a quarentena afeta a saúde mental

Como a quarentena afeta a saúde mental

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) definem a quarentena como separando e restringindo o movimento de pessoas que foram expostas a uma doença contagiosa para ver se elas ficam doentes.

Como algumas doenças podem ser contagiosas, ou seja, mesmo que as pessoas ainda não apresentem sintomas, essa etapa minimiza a propagação da doença durante o período assintomático.

Além da incerteza e do estresse do surto global, passar um tempo em quarentena pode causar sérios transtornos mentais, como resultado  o impacto da quarentena afeta três elementos-chave da saúde mental:

  • Autonomia
  • Competência
  • Conexão.

O isolamento imposto pela quarentena freqüentemente deixa as pessoas sentindo que não têm controle sobre a situação. Eles também se sentem isolados do resto do mundo e incapazes de desempenhar suas funções habituais.

À medida que as escolas fecham, os trabalhadores optam por se mudar, e outros eventos sociais são cancelados; a perspectiva de ficar confinada em sua casa por causa da quarentena pode ser assustadora.

O tempo parece correr muito mais devagar depois de você ficar em casa por um longo período de tempo. Mesmo se você estiver em casa com outros membros da família, a sensação de isolamento e febre na cabine pode ser poderosa.

A American Psychological Association relata que o isolamento social traz vários riscos à saúde.

Sentir-se isolado pode levar a um sono ruim, problemas cardiovasculares, baixa imunidade, sintomas depressivos e comprometimento da função executiva.

Quando as habilidades da função executiva são prejudicadas, você pode achar mais difícil se concentrar, gerenciar suas emoções, lembrar informações e seguir instruções.

Embora a quarentena possa ser apenas temporária, mesmo breves períodos de isolamento e solidão podem ter consequências negativas no bem-estar físico e mental.

Possível efeito na saúde mental das quarentenas de coronavírus

Uma revisão de 2019 no The Lancet analisou os resultados de estudos anteriores para ter uma ideia melhor de como o COVID-19 pode impactar aqueles que estão em quarentena.

A revisão constatou que o sofrimento psicológico é comum durante e após os períodos de quarentena. Pessoas comumente experientes:

  • Medo
  • Tristeza
  • Dormência
  • Insônia
  • Confusão
  • Raiva
  • Sintomas de estresse pós-traumático
  • Sintomas depressivos
  • Humor baixo
  • Estresse
  • Distúrbio emocional
  • Irritabilidade
  • Exaustão emocional

Há alguma evidência de que também pode haver consequências a longo prazo. A dependência de substâncias e álcool foi mais comum até três anos após a quarentena.

Embora as reações individuais ao isolamento auto-imposto ou obrigatório variem, é provável que você tenha sentimentos de solidão, tristeza, medo, ansiedade e estresse.

Tais sentimentos são normais, dadas as circunstâncias. No entanto, existem medidas que você pode tomar para proteger sua saúde mental e bem-estar enquanto enfrenta uma quarentena.

 

Coisas que você pode fazer para lidar

Estabelecer rotinas

A interrupção em suas rotinas diárias normais pode ser um dos aspectos mais difíceis da quarentena. Isso pode fazer com que você se sinta sem direção enquanto tenta descobrir como preencher todas as horas do dia.

Se você estiver trabalhando em casa , pode ser útil estruturar seu tempo como um dia de trabalho regular. No entanto, isso pode ser um desafio se você estiver em casa com outros membros da família, incluindo crianças, que agora ficam em casa o dia todo.

Deixadas sem a estrutura de um dia escolar normal, as crianças podem se sentir tão incomuns quanto os adultos.

Se você está tentando manter as crianças pequenas entretidas enquanto está preso em casa, ou mesmo tentando continuar trabalhando em meio a tudo isso, é importante encontrar uma rotina que funcione para você.

Planeje atividades que manterão todos ocupados para que você possa fazer algum trabalho.

Tente criar uma programação diária, mas não fique muito envolvido em seguir uma rotina estrita. Faça suas próprias rotinas e termine o dia para evitar a monotonia.

Seja o mais ativo possível

Como a quarentena afeta a saúde mental

Mesmo períodos relativamente curtos de inatividade física podem afetar sua saúde, tanto mental quanto fisicamente.

Um estudo descobriu que apenas duas semanas de inatividade podem levar a reduções na massa muscular e efeitos metabólicos.

Felizmente, existem muitas idéias de exercícios em casa que podem ajudar a mantê-lo em movimento, mesmo quando você está preso dentro de casa.

Sua quarentena pode ser breve, mas permanecer ativo pode ajudá-lo a se sentir melhor e manter seus níveis de condicionamento físico.

É também uma ótima maneira de ajudar a combater a sensação de mal-estar e tédio que pode advir de ficar preso dentro de dia após dia.

Leia também:

 

Como a quarentena afeta a saúde mental

Ideias de treino em casa

Você não precisa de um monte de equipamento de treino caro para obter um bom treino, portanto, aqui estão algumas coisas que você pode fazer para ficar em forma em casa:

  • Vídeos de exercícios
  • Exercícios de peso corporal
  • Exercícios online
  • Aplicativos de fitness

Combate à frustração e ao tédio

Algumas das angústias de ficar em quarentena decorre de tédio e frustração. É importante encontrar maneiras de se manter ocupado; portanto, tente manter o máximo de rotinas possível.

Continue trabalhando em projetos ou encontre novas atividades para preencher seu tempo, seja organizando seu armário ou tentando um novo hobby criativo.

Fazer as coisas pode fornecer um senso de propósito e competência.

Dá a você algo pelo que trabalhar e algo pelo qual ansiar a cada dia.

Portanto, faça um plano, liste algumas coisas que gostaria de realizar e comece a verificar algumas coisas da sua lista todos os dias.

Comunicar 

Ficar em contato com outras pessoas não apenas evita o tédio, mas também é fundamental para minimizar a sensação de isolamento.

Mantenha contato com amigos e familiares por telefone e texto. Entre em contato com outras pessoas nas mídias sociais.

Se possível, participe de um grupo de suporte ou de um quadro de discussão especificamente para pessoas que estão em quarentena.

Conversar com outras pessoas que estão passando pela mesma coisa pode proporcionar um senso de comunidade e empoderamento.

Idéias para permanecer conectado

  • Faça refeições regulares com outras pessoas em casa
  • Check-in com amigos e familiares todos os dias por telefone
  • Use diferentes formas de comunicação, incluindo telefone, texto, email, mensagens e videochamada
  • Tente apoiar outras pessoas; tranquilize um amigo que esteja estressado ou preocupado
  • Use redes sociais como Twitter e Discord para ficar conectado a outras pessoas

Mantenha-se informado, mas não sobrecarregado

As pessoas tendem a sentir maior ansiedade quando sentem que não têm acesso às informações de que precisam.

Por outro lado, no entanto, é o sentimento de pânico que pode resultar da imersão 24 horas por dia, 7 dias por semana, em relatórios que se concentram em informações imprecisas ou excessivamente negativas.

Em vez de gastar seu tempo assistindo notícias a cabo, concentre-se em obter informações úteis de fontes confiáveis. Fontes como os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC), Organização Mundial da Saúde (OMS), departamentos de saúde estaduais e locais e seu médico podem ser úteis.

Lembre-se de que as crianças também estão estressadas

A pesquisa descobriu que as crianças que passaram pela quarentena apresentaram sintomas de TEPT quatro vezes mais do que as crianças que não foram colocadas em quarentena.

O CDC recomenda que pais e outros adultos conversem com as crianças sobre o surto de COVID-19 de maneira informativa, para que fiquem tranquilos.

Concentre-se em manter um senso de estrutura em casa e modele comportamentos saudáveis ​​e positivos.

Gerenciar sua própria ansiedade pode ajudar a acalmar os medos das crianças em sua casa.

Como a quarentena afeta a saúde mental, a quarentena em casa pode desempenhar um papel importante na prevenção da propagação de doenças infecciosas, contudo, isso não significa que é fácil lidar com a interrupção em sua rotina normal.

Cuidar de sua saúde mental é essencial, portanto, mesmo que seu tempo em quarentena seja relativamente breve no grande esquema das coisas.

 

Como a quarentena afeta a saúde mental

Fonte:

https://www.verywellmind.com/protect-your-mental-health-during-quarantine-4799766

LIXO – ACIDENTES E DOENÇAS

LIXO – ACIDENTES E DOENÇAS

Nesta fase de quarentena e pessoas em Casa, fazem com que a quantidade de lixo e resíduos em residências seja cada vez maior.

 

Cuidado e alerta para que todos tomem os devidos cuidados e evitem que o lixo agrave a situação.

O resíduo solido por si só não transmite doenças, contudo, pode provocar acidentes ou servir de abrigo e alimento para vetores que causam doenças.

 

ACIDENTES:

LIXO - ACIDENTES E DOENÇAS
Carrinheiros pelas ruas de Porto Alegre. Em destaque Av. Voluntários da Pátria. Trânsito da cidade. Reciclagem de lixo

No caso de acidentes, quem está mais vulnerável é o profissional que trabalha diretamente com a coleta e destinação deste resíduo, como catadores de lixo, carrinheiros e trabalhadores de seleção de material reciclável, por exemplo.

Estes trabalhadores frequentemente se veem frente a frente com resíduos perfuro cortantes, como cacos de vidro, agulhas e afins, os quais muitas vezes são descartados de maneira inapropriada e podem ferir profissionais.

A recomendação nestes casos é que o resíduo seja colocado dentro de algum recipiente seguro que possa ser lacrado e vedado, como resultado, diminuindo os riscos de cortes.

Lâmpadas quebradas e restos de vidro podem ser colocados dentro de garrafas pet, com a devida identificação, o que evita muito a chance de acidentes.

Após a separação, é indicado que os resíduos sejam colocados para serem retirados pelos caminhões de coleta bem próximo do horário em que estes veículos passem no local, isso evita que pessoas e animais abram os sacos e baguncem os entulhos nas vias públicas, o que aumente a chance de proliferação de doenças.

 

TRANSMISSÃO DE DOENÇAS

Mutirão de limpeza dengue…Um conceito internacionalmente reconhecido na proliferação de vetores é o dos três – As, o qual diz que todo local que possa prover alimento, água e abrigo é ideal para os animais que possam transmitir doenças multipliquem.

E o lixo descartado de maneira inadequada cumpre esta função muito bem.

Entre os animais que podem se proliferar no lixo, os que mais causam problemas à saúde das pessoas são ratos, baratas e mosquitos.

Sobre os ratos, o risco é a transmissão da leptospirose. Esta é uma doença endêmica transmitida por uma bactéria encontrada na água contaminada ou na urina dos roedores.

Já com as baratas, o problema é por onde elas passam. No lixo, estes animais podem ter contato com resíduos orgânicos como restos de papeis higiênicos, ou outros focos de bactérias e, ao entrarem nas casas, levam junto o risco de doenças

Em suas patas, as baratas podem levar muitas doenças que adquirem no lixo. Em casa, estes animais podem transmitir desde diarreia, dores, febres e até doenças mais serias como a hepatite, tanto às pessoas quanto nos animais de estimação.

 

MOSQUITOS:

Os mosquitos são um caso à parte que preocupam ainda mais a saúde da população. Especialmente por encontrarem no lixo o ambiente perfeito para colocarem seus ovos e multiplicarem os riscos de doenças como por exemplo, a dengue.

Uma tampinha de garrafa que foi descartada de maneira irregular pode acumular água e tornar-se foco do Aedes aegypti.

Alem disso os mosquitos podem transmitir outras doenças ao entra em contato, por exemplo, com um alimento que esteja descoberto, em cima de uma mesa e que as pessoas vão consumir sem saber dos riscos que estão correndo.

Leia também:

LIXO – ACIDENTES E DOENÇAS

EDUCAÇÃO

Os especialistas destacam que é muito difícil que o controle do lixo seja feito apenas pelos órgãos públicos; já que o descarte de resíduos é algo dinâmico e constante. Por isso a importância que a população tenha consciência ambiental.

Outro conceito bastante usado para diminuir os problemas que o lixo pode causar são os 3Rs:

LIXO - ACIDENTES E DOENÇAS

  1. Reduzir
  2. Reutilizar
  3. Reciclar

 

 

Com esta ideia, em suma, os resíduos são eliminados de maneira sustentável e os resíduos que já não possuem mais serventia podem se transformar em um algo novo.

-Importante é a sociedade ter consciência ambiental saudável com relação ao lixo.

 

LIXO – ACIDENTES E DOENÇAS

Fontes:

www.comprasustentavel.com.br

www.blog.saude.gov.br

www.saudebrasilportal.com.br