Economia doméstica: 5 dicas para entender sua conta de luz

Olá amigos, hoje vamos te dar 5 dicas para entender sua conta de luz, portanto, apague a luz ao sair do cômodo!

1-Você sabe o que é ENERGIA?

Especificamente, energia elétrica ativa é aquela que pode ser convertida em outra forma de energia  expressa em quilowatts-hora (kWh), para esclarecer.

Na fatura ela corresponde à parcela denominada “Consumo”.

Para se ter uma ideia do que é isso na prática, por exemplo, uma lâmpada incandescente de 100 watts, mantida acesa por 10 horas, consumirá 1.000 watts-hora (Wh) ou 1 quilowatt-hora (kWh), ou seja, um chuveiro elétrico de 4.000 watts ligado por 15 minutos também
consumirá 1 kWh.

Veja como é feito cálculo:

5 dicas para entender sua conta de Luz

2- E o que é DEMANDA?

É o somatório das cargas instaladas operando no mesmo intervalo de tempo, ou seja, tecnicamente é potência elétrica solicitada ao sistema pela parcela da carga em operação, em um curto intervalo de tempo especificado, expressa em quilowatts (kW).

Por exemplo, se em determinado momento na sua casa estiverem ligados ao mesmo tempo uma TV com potência de 250 W, um ferro elétrico de passar com potência de 1.000 W e uma lâmpada de 60 W, a demanda da sua casa neste instante será de 1.310 W ou 1,31 kW.

5 dicas para entender sua conta de luz

3- Baixa tensão vs. alta tensão

Conforme o porte e as características da região onde está localizada a instalação elétrica de sua organização, a concessionária pode lhe atender em diferentes níveis de tensão elétrica.

Se a sua unidade é atendida diretamente pela concessionária de energia, sem a utilização de um transformador individual, isto é, se a concessionária entrega a energia nas tensões padronizadas de 110 V, 127 V ou 220 V, sua instalação é atendida em baixa tensão. Neste caso, o transformador é compartilhado e está instalado em área pública.

Por outro lado, se a sua unidade é atendida pela concessionaria de energia com a utilização de um transformador individual, localizado no seu terreno ou prédio, e a concessionária entrega a energia com tensão em torno de 13.800 volts (V), sua instalação é atendida em média tensão.

Neste caso o transformador (subestação) é de sua propriedade, que, por isso, pode usufruir de menores tarifas de energia, tendo, no entanto, que arcar com custos com a manutenção e conservação do equipamento.

4 – Horários e preços

Você sabia que o valor cobrado pelo consumo e pela demanda de energia podem variar ao longo do dia e conforme o dia da semana?
A Resolução Normativa da ANEEL nº 414/2010 define horários distintos para aplicação de tarifas de forma diferenciada (posto tarifário), comumente chamados de horário de ponta e horário fora de ponta:

a) posto tarifário ponta: período composto por 3 (três) horas diárias consecutivas definidas pela distribuidora, com exceção feita aos sábados, domingos, terça-feira de carnaval, sexta-feira da Paixão, Corpus Christi, e os seguintes feriados:

5 dicas para entender sua conta de Luz

b) posto tarifário fora de ponta: período composto pelo conjunto das horas diárias consecutivas e complementares àquelas definidas no posto tarifário ponta.

Exemplo de Tarifas:

Tarifas disponíveis para o fornecimento de energia Convencional
É a modalidade tarifária indicada às unidades consumidoras onde é pequena a possibilidade de programação da utilização da carga (demanda) ao longo das horas do dia.

As características básicas das tarifas são por exemplo:consumo de energia elétrica (kWh), demanda de potência (kW)e contratada mínima de 30 kW e máxima de 149 kW .

De acordo com a Resolução nº 414/2010 da ANEEL, a definição de tarifa convencional é a que segue: modalidade tarifária convencional binômia: aplicada às unidades consumidoras do grupo A, caracterizada por tarifas de consumo de energia elétrica e demanda de potência, independentemente das horas de utilização do dia;
Faz-se importante destacar que esta modalidade deixará de ser utilizada conforme cronograma específico de cada concessionária.

A distribuidora encaminhará notificação, aos consumidores enquadrados nesta modalidade com as seguintes informações:

a) prazo de extinção da modalidade tarifária convencional e prazo limite para realização pelo consumidor do novo enquadramento;
b) modalidades tarifárias disponíveis para o novo enquadramento e suas características;
c) sugestão de enquadramento na modalidade tarifária mais adequada ao perfil de carga da unidade consumidora, com as respectivas simulações nas modalidades tarifárias horárias azul e verde, considerando o histórico de faturamento mínimo dos 12 (doze) últimos meses disponíveis

Horária Verde

Também chamada de tarifa Horo-sazonal Verde, é a modalidade tarifária indicada às unidades consumidoras onde é possível a reprogramação da utilização da carga (demanda), ao longo das horas do dia, do segmento de ponta para o segmento fora de ponta.

As características básicas da Horária Verde são: tarifa única de demanda de potência (kW), tarifa de consumo para o horário da ponta seco/úmido (kWh), tarifa de consumo para o horário fora da ponta seco/úmido (kWh) , demanda contratada mínima de 30 kW, período de 7 (set e) ciclos de faturamento consecutivos, referente aos meses de maio a novembro e período úmido: período de 5 (cinco) ciclos de faturamento consecutivos, referente aos meses de dezembro de um ano a abril do ano seguinte;

Horária Azul

Também chamada de tarifa Horo-sazonal Azul. Essa modalidade tarifária é indicada às unidades consumidoras onde a utilização da carga (demanda) no segmento de ponta é imprescindível, ou seja, é pequena a possibilidade de reduzir carga, bem como sua utilização nesse horário.
Tarifas básicas, por demanda de potência no horário fora de ponta (kW)), por consumo para o horário da ponta seco/úmido (kWh))e por consumo para o horário fora da ponta seco/úmido
(kWh);
• Demanda contratada mínima de 30 kW par a um dos postos horários (ponta ou fora de ponta).
A decisão de mudança, porém, só deve ser tomada após adequada verificação dos padrões de consumo e demanda.

Embora uma análise completa exija conhecimento técnico, este guia permite orientar qualquer servidor a identificar as oportunidades de redução de despesas com a energia elétrica.

Leia também:

5 dicas para estudar durante a quarentena – Vestibular 2020

Dicas de alimentação e nutrição durante a quarentena.

Oito filmes sobre mudança climática para assistir durante a quarentena.

5- Não existência de cobrança de energia reativa

Energia reativa é aquela que não produz trabalho útil e, quando cobrada pela concessionária, indica problema no fator de potência das instalações do órgão público.

Se este problema não for resolvido ocorrem custos adicionais desnecessários. Em uma instalação adequada não há cobrança dessa energia.

Para exemplificar, um transformador energizado, se não alimentar alguma carga, consumirá, majoritariamente, energia reativa.
Verifique sua fatura de energia e se houver cobrança de EREX (Energia Reativa Excedente) deverão ser adotadas providências para sua eliminação, na maioria das vezes através da instalação de bancos de capacitores.

Procure orientação técnica. Em geral, a correção do fator de potência é uma das medidas de custo mais baixo para a redução de despesa com energia elétrica.

Enquadramento tarifário adequado (5 dicas para entender sua conta)

Ocorre quando o órgão está enquadrado na modalidade tarifária que resulta em menor custo total, dentro da estrutura tarifária convencional ou horo-sazonal (verde ou azul). Este custo depende das características da instalação e de seu funcionamento.

As tarifas variam conforme os horários de ponta e fora de ponta, nos períodos úmido e seco.

É importante salientar que o consumo de energia elétrica depende de vários fatores, previsíveis ou não, e que podem se repetir ou não.

Deste modo, não há como garantir que, apesar de usarmos uma boa técnica de análise, o valor recomendado para a demanda contratada e a estrutura tarifária adotada sejam efetivamente
aqueles que resultarão no menor dispêndio.

Quando posso solicitar a revisão do contrato de fornecimento?
A Resolução Normativa nº 414/2010 da ANEEL permite revisão anual do contrato com a concessionária. Ou seja, a cada 12 meses os valores contratados podem ser alterados (alteração de modalidade tarifária). Isto significa que, passados 6 meses após a última revisão, novas análises e estudos já devem ser efetuados.

Conclusão sobre 5 dicas para entender sua conta

Conforme já dito, o consumo de energia elétrica depende de vários fatores: humanos, climáticos, técnicos, funcionais, sazonais, atinentes à rotina do órgão etc.

Alguns deles são previsíveis. Outros, não. Alguns são periódicos e podem se repetir. Outros, não. Por isso, não há como garantir que, apesar de usarmos uma boa técnica de análise, o valor recomendado para a demanda contratada e a estrutura tarifária adotada que foram baseados em dados históricos sejam efetivamente
aqueles que resultarão no menor dispêndio.

É preciso ter em mente que os valores adotados são resultantes de previsões feitas com base em análises racionais, que buscam minimizar as incertezas, mas que não conseguem reduzi-las a zero.

O importante é manter o controle permanente do consumo energético da sua instalação para que eventuais desvios sejam prontamente identificados e as correções cabíveis sejam providenciadas.

Caso seja a primeira vez que você esteja realizando uma análise tarifária, é natural que existam dúvidas.

Neste caso, você poderá pedir ajuda à sua concessionária, que, consequentemente, possui informações específicas da sua região de atuação.

Ainda, poderá pedir ajuda a um especialista que terá condições de analisar sua edificação presencialmente, ou seja, apontar características e cuidados peculiares ao seu caso.

Por fim, não deixe de implementar na sua edificação medidas de redução do consumo de energia.

Algumas destas medidas são comportamentais e possuem custo bastante reduzido com resultados surpreendentes.

Além de reduzir as despesas do seu órgão e colaborar com o gasto eficiente de recursos públicos, você estará
contribuindo para a redução do uso dos recursos naturais e a preservação do meio ambiente

 

5 dicas para entender sua conta de Luz

Fontes:
ANEEL – Resolução Normativa nº 414, de 9 de set embro de 2010
CEB Distribuição – Gerência de Grandes Clientes – GRGC
CEMIG – Manual sobre Contratos de Energia Elétrica e Estrutura
Tarifária 2012
CEPEL – Guia para eficiência energética nas edificações públicas
Versão 1.0 / outubro 2012
EDP Bandeirante – Manual de Orientação aos Consumidores –
Critérios de Contratação e Tarifas Aplicadas
ELETROBRAS/PROCEL – Manual de Tarifação da Energia Elétrica
Lumina Energia – Site de gestão de energia e redução de custos:
PROCEL – Conservação de Energia- Eficiência Energética de
Equipamentos e I nstalações –3ª edição – 2006

Oito filmes sobre mudança climática para assistir durante a quarentena.

Oito filmes sobre mudança climática para assistir durante a quarentena.
Por que não tirar o máximo proveito do seu tempo em quarentena e como resultado, juntar  dois assuntos relevantes e agradáveis ​​para todos?

Filmes e mudanças climáticas

Preparamos uma lista de oito (8) filmes que apresentam perspectivas diferentes e pensamentos importantes sobre o contexto das mudanças climáticas,ou seja,  por tudo que o planeta está passando nos últimos anos.

Das profundezas geladas do Oceano Ártico às terras áridas e secas do continente africano.

Dos relatórios de um ex-vice-presidente dos Estados Unidos à criação engenhosa de um jovem malauiano.

A variedade de temas de filmes incluídos na lista é o convite perfeito para reunir a família, portanto, pode fazer pipoca e pressionar o play.

Oito filmes sobre mudança climática para assistir durante a quarentena.

Escolha seus filmes e divirta-se!

  • “Nosso Planeta” (2019)
  • “O garoto que aproveitou o vento” (2019)
  • “Vigilantes del Planeta” (2018)
  • “Uma sequência inconveniente: verdade ao poder” (2017)
  • “Um oceano de plástico” (2017)
  • “Chasing Coral” (2017)
  • “Apanhar Sol” (2015)
  • “Cowspiracy: O Segredo da Sustentabilidade” (2014)
Leia também:

 

Oito filmes sobre mudança climática para assistir durante a quarentena.

Mudanças Climáticas

A mudança do clima compreende alterações provenientes de mudanças de temperatura, precipitações, dentre outros fenômenos, em relação às médias históricas, consequentemente, interferindo nas características climáticas do planeta.

Essas mudanças ocorrem por processos naturais, mas também podem ocorrer pela ação humana.

Parar o avanço das mudanças climáticas é um dos nossos maiores desafios, contudo a raça humana também vem aprendendo que vivemos em um planeta que está sempre mudando, portanto, temos que mudar junto.

Esperamos que com esses filmes seus dias de quarentena fiquem mais divertidos, e acima de tudo mais sustentável.

Semana que vem voltamos com mais matérias para tornar o nosso mundo mais sustentável!

Fontes:

https://www.neoenergia.com/

https://www.saude.gov.br/vigilancia-em-saude/vigilancia-ambiental/vigidesastres/mudancas-climaticas

CORONAVÍRUS – POLUIÇÃO

CORONAVÍRUS – POLUIÇÃO

Fechamento de fabricas e lojas na China e restrições de viagem para lidar com a disseminação do vírus resultaram em redução nas emissões de CO2 e no uso de combustíveis fósseis.

O alívio provavelmente será momentâneo, e sua causa é uma má notícia.

Mas uma das consequências inesperadas do surto do novo coronavírus foi o ar mais limpo e a redução das emissões de gases que contribuem para as mudanças climáticas

O fechamento de fabricas e lojas na China, ao lado das restrições de viagens para lidar com a disseminação do vírus produziu uma queda de pelo menos 25% na emissões de dióxido de carbono(CO2) da China.

É provável que isso tenha eliminado um quarto ou mais das emissões de CO2 do país nas duas semanas seguintes ao feriado do Ano Novo Chinês, ou seja, período em que a atividade normalmente seria retomada.

CORONAVÍRUS - POLUIÇÃO

O RETORNO!

Soluções estão sendo tomadas pelo governo chinês para permitir um retorno mais rápido da economia como organizar o transporte publico.

Além de outras medidas destinadas a estimular a economia podem acabar por reverte a baixa no consumo de combustíveis fosseis e, portanto, empurrar as emissões acima das medias históricas.

A mudança nas emissões de CO2 não é permanente, portanto, não será visível nas emissões gerais do planeta.

Alguns dirão que uma demanda acumulada por mercadorias levara a um desperdício mais à frente.

A economia mundial está sendo afetada e as coisa não serão as mesmas novamente.

 

Leia também:

CORONAVÍRUS – POLUIÇÃO

FUTURO!

Uma possível mudança de comportamento dos consumidores, na China e no Mundo. Como resultado do impacto econômico da crise ou do aumento da conscientização pelos danos das emissões.

A crise também tem o potencial de mudar o comportamento e os hábitos de consumo das pessoas a longo prazo.

Por exemplo, fazendo-as pensar duas vezes antes de embarcar em uma longa jornada que poderia terminar em quarentena.

Fontes:

www.comprasustentavel.com.br

BBC News Mundo.

 

Enchentes – Alagamentos

Enchentes – Alagamentos

O problema das enchentes passou a ser algo comum na vida das
pessoas de algumas cidades. Infelizmente, todo ano é a mesma coisa.

Mas por que as enchentes ocorrem? É possível combatê-las?

A interferência humana sobre os cursos d’água, provocando enchentes e inundações, ocorre das mais diversas formas.

Em casos extremos, porem menos comuns, tais situações podem estar relacionadas com rompimentos de diques e barragens, o que pode causar sérios danos à sociedade.

Mas, quase sempre, essa questão esta ligada ao mau uso do espaço urbano.

Cidades sem planejamento urbano e crescimento acelerado e desordenado.

Um problema que parece não ter uma solução rápida é o elevado índice de poluição, causado tanto pela ausência de consciência por parte da população quanto por sistemas ineficientes de coleta de lixo ou de distribuição de lixeiras pela cidade.

Alem do mais, há problemas causados pela poluição gerada por empresas e outros órgãos, consequentemente, ocorre o entupimento dos bueiros.

Alem disso, o lixo gerado é levado pelas enxurradas e contribui ainda mais para elevar o volume dos córregos e rios.

Outra questão é a ocupação irregular ou desordenada do espaço geográfico. Ocupam-se áreas do leito expandido dos rios, por ausência de planejamento ou fatores econômicos, mesmo assim, prédios e conjuntos residenciais são construídos em áreas que seriam da proteção da drenagem da cidade.

Enchentes – Alagamentos

Enchentes - Alagamentos

A remoção da vegetação que compõe o entorno do rio pode intensificar o processo de erosão e diminuem a retenção dos sedimentos que vão para o leito, ou seja, aumentam o nível das águas.

Apesar de todos os problemas mencionados, a causa considerada principal para as enchentes é, sem duvida, a impermeabilização do solo.

Com a pavimentação das ruas e a cimentação de quintais e calçadas, a maior parte da água, que deveria infiltrar no solo, escorre na superfície, provocando o aumento do volume das enxurradas e a elevação dos rios, alem disso, a impermeabilização contribui para aumentar a velocidade desse escoamento, provocando erosões e causando outros tipos de desastres ambientais urbanos.

Fator importante nas enchentes urbanas é o volume de chuva pelo tempo de duração em uma região.

Leia também:

EXEMPLO: Cidade de SÃO PAULO

A chuva forte que atingiu São Paulo a partir do fim da tarde de domingo (9) provocou destruição e caos, em consequência, a tempestade fez os rios Tietê e Pinheiros transbordarem, causaram dezenas de alagamentos, deslizamentos e travou a cidade.

O volume de água registrado no intervalo de 24 horas foi o maior para um mês de fevereiro em 37 anos, informou o Instituto Nacional
de Meteorologia.

Segundo o CGE (Centro de Gerenciamento de Emergências da Prefeitura SP) em dez dias já choveu cerca de 208 mm,o que equivale a 96% da media esperada para o mês inteiro de fevereiro.

Apenas entre 7h e às 13h da segunda, choveu o volume de 88,7mm na cidade.

São Paulo chegou ter 161 pontos de alagamento ao longo da segunda-feira

Os bombeiros registraram 1018 acionamentos por enchentes na Grande São Paulo, com 182 desabamentos e 206 quedas de arvores.

# O governo e a prefeitura de São Paulo responsabilizaram a chuva excessiva pelos inúmeros transtornos.

Como se mede a quantidade de chuva?

Cada milímetro de precipitação ou chuva significa que, em uma área de 1 m²,caiu 1 litro de água.
Das 7h às 13h: 88,7 mm, ou seja, 88,7 litros de água em 1 metro quadrado de área.

Enchentes - Alagamentos

 

Enchentes – Alagamentos

Fontes:

www.comprasustentavel.com.br
www.brasilescola.uol.com.br

Poluição do Ar

Poluição do Ar

Poluição do ar é a introdução de qualquer substancia que, devido a
sua concentração, possa tornar nociva à saúde e ao meio ambiente.

A poluição atmosférica pode ser definida como qualquer forma de matéria ou energia com intensidade, concentração, tempo ou características, ou seja,  que possam tornar o ar impróprio, nocivo ou ofensivo à saúde, inconveniente ao bem-estar publico, danoso aos materiais, à fauna e à flora ou prejudicial à segurança, ao uso e gozo da propriedade e à qualidade de vida da comunidade.

De uma forma geral, a qualidade do ar é produto da interação de um complexo conjunto de fatores, por exemplo, destacam-se a magnitude das emissões,a topografia e as condições meteorológicas da região,favoráveis ou não a dispersão dos poluentes.

Poluição Atmosférica, refere-se á contaminação do ar , ou seja, por gases, líquidos e partículas solidas em suspensão, material biológico e até mesmo energia.

Poluição do Ar

PERIGO:

De acordo com um estudo da Organização Mundial de Saúde de 2014, a poluição do ar causou a morte de mais de 7 milhões de pessoas no mundo em 2012, como resultado, matau mais que a AIDS e malaria juntas.

Principais poluentes atmosféricos

  • Monóxido de Carbono (CO):
    Um gás incolor, inodoro e tóxico. Produzido principalmente pela queima não completa de combustível, ou seja, ele causa interferência no transporte do oxigênio no nosso corpo, podendo causar asfixia e morte.
  • Dióxido de Carbono (CO2):
    É uma substancia fundamental para os seres vivos. Os vegetais utilizam o dióxido de carbono para realizar sua fotossíntese, processo no qual eles usam a energia solar e o CO2 para produzir energia, entretanto, o gás é produzido no processo de respiração celular, mais possui outras fontes, que são causa de boa parte da poluição do ar, como o processo de decomposição e a queima de combustíveis fósseis. Esse gás é muito perigo devido ao fato do CO2 absorver parte da radiação emitida pela superfície da terra,retendo o calor, portanto, resultando em um aumento da temperatura da terra.
  • Clorofluorcarbonetos (CFCs):
    Costumavam ser emitidos a partir de produtos como aparelhos, como por exemplo, ar condicionado, refrigeradores, sprays de aerossol, porem, atualmente, esses compostos estão banidos em quase todo o mundo.
    Quando em contato com outros gases, os CFCs causam danos a camada de ozônio, portanto, sendo os grandes responsáveis pelo seu buraco,permitindo assim que os raios ultravioletas alcancem a superfície da Terra,causando problemas como câncer de pele.
  • Óxidos de Enxofre (SOx):
    O mais nocivo é o dióxido de enxofre (SO2), é produzido, por exemplo, em diversos processos industriais e por atividades vulcânicas, resumindo, quando na atmosfera, o dióxido de enxofre forma ao acido sulfuroso, causando a chuva ácida.
  • Óxidos de Nitrogênio (NOx):
    Em especial o dióxido de nitrogênio (NO2) , acima de tudo, é um grande fator de poluição do ar. Esses óxidos são gases altamente reativos, formados durante a combustão pela ação microbiológica ou por raios.

Poluição do Ar

  • Compostos Orgânicos Voláteis (COVs):
    Esses elementos que integram a poluição do ar são químicos orgânicos emitidos por varias fontes, por exemplo, a queima de  combustível fóssil, atividades industriais e emissões naturais da vegetação e de queimadas. Alguns COVs de origem antropogênica, como por exemplo, o benzeno, são poluentes cancerígenos. O metano é um composto orgânico volátil que contribui para o efeito estufa e é cerca de 20 vezes mais potente que o monóxido de carbono, ou seja, veneno puro.
  • Amônia (NH3):
    Emitida principalmente pela agricultura devido ao uso de fertilizantes.
  • Material Particulado (MP):
    São partículas finas de sólidos ou líquidos suspensos, por exemplo, a ação humana produz MP em atividades industriais, mineração e combustão de combustíveis fósseis. Na atmosfera, esse material causa danos à saúde. Problemas respiratórios e do coração.

Causas da poluição do ar

Fontes naturais:

  • Poeira de fontes naturais, como as de áreas desérticas.
  • Metano emitido no processo de digestão dos animais. Criação de gados.
  • Fumaça e monóxido de carbono emitido nas queimas naturais.
  • Atividade vulcânica, que emite diversos poluentes.
  • Atividade micológica nos oceanos, liberando gases sulfurosos.
  • Decaimento radioativo dos minerais (rochas).
  • Emissões por plantas de compostos orgânicos voláteis.
  • Decomposição de matéria orgânica.

Fontes antropogênicas (causadas pelo homem):

  • Fábricas, usinas de energia, incineradores, fornalhas e outras fontes.
  • Veículos automotores, como carros, motos, caminhões e aviões. O transporte contribui com cerca de metade das emissões de monóxido de carbono e oxido de nitrogênio.
  • Queimadas controladas na agricultura e no gerenciamento de florestas. No Brasil, essa pratica é responsável por cerca de 75% das emissões de gás carbônico.
  • Aerossóis, tinta, spray de cabelo e outros solventes.
  • Decomposição dos resíduos orgânicos (lixo) que gera metano.
  • Emissão de amônia pelo uso de fertilizantes.
  • Atividade mineradora.
Leia também:

 

Efeitos da poluição do ar

A poluição do ar causa um enorme impacto em dois grandes âmbitos:

# na saúde humana
# no meio ambiente

Entre os principais efeitos na saúde humana

  • Irritação na garganta, nariz e olhos;
  • Dificuldade de respiração;
  • Tosse;
  • Desenvolvimento de problemas respiratórios;
  • Agravamento de problemas cardíacos ou respiratórios, como a asma;
  • Aumento de chance de ataques cardíacos;
  • desenvolvimento de diversos tipos de câncer;
  • Danos ao sistema imunológico;
  • Danos ao sistema reprodutivo.

Poluição do Ar

Fontes:

www.comprasustentavel.com.br
www.mma.gov.br
www.cetesb.sp.gov.br
www.ecycle.com.br

Proibido Plástico em São Paulo

Proibido Plástico em São Paulo

O prefeito de São Paulo sancionou segunda feira-13/01/2020 a lei que proíbe o fornecimento de produtos descartáveis de plástico em estabelecimentos comerciais da capital, ou seja, nada de copinhos e sacolas.

Proibido Plástico em São Paulo

De autoria do vereador Xexéu Trípoli (PV), a lei proíbe a distribuição de copos, pratos, talheres, agitadores de bebidas e varas para balões de uso único feito com plástico.

O texto também proíbe o fornecimento desses produtos feitos com plástico oxibiodegradável, ou seja, quando o produto recebe um aditivo para acelerar a decomposição,reduzindo-o em microfragmentos.

A lei entra em vigor em 1º de janeiro de 2021, prazo para que consumidores e estabelecimentos comerciais se adaptem à nova regra.

A partir dessa data, o bar, restaurante ou lanchonete que distribuir descartáveis poderá ser multado, contudo, se reincidente a multa aumenta e se a infração persistir o estabelecimento poderá ser fechado.

O prefeito disse que a fiscalização será feita pelos agentes da prefeitura. Mesmo assim, o prefeito acredita mais em uma mudança de comportamento do próprio consumidor.

”A população vai abrir mão de um conforto individual porque entende que esse é um compromisso ambiental”

A lei vale inclusive para food truck ou entregas delivery feitas por aplicativos de comidas.

Leia também:

Proibido Plástico em São Paulo

Como funciona a lei:

Utensílios proibidos:

Estabelecimentos comerciais ficam proibidos de fornecer talheres, pratos, mexedores de bebida e varas para balões feitos de plástico.
Eles podem ser substituídos por similares de material biodegradável, compostavel ou reutilizável.

Vale para quem?

Estabelecimentos como hotéis, restaurantes, bares, padarias, espaços para festas infantis,clubes noturnos,casas de show e de eventos culturais e esportivos devem se adequar à nova regra. A venda não esta proibida em supermercados.

Prazo de adequação

Os estabelecimentos terão até janeiro de 2021 para se adequar

Punição

Estabelecimentos infratores ficam sujeitos a multas e até mesmo o fechamento em caso de reincidência. A lei prevê que na 1ºautuação, o infrator receba só advertência. Caso o descumprimento se repita, fica sujeito à multa e ao fechamento.

Federal

A medida, porem, não atinge a venda de descartáveis em supermercados ou uso de garrafas pet para embalagens. Como se tratam de temas federais, o Município não pode fazer lei especifica para proibi-los.

Reação

A Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast) disse, em nota, não acreditar que a “vilanização e o banimento” do plástico são o modo de resolver a “má gestão de resíduos sólidos”. A entidade afirma ainda que é necessário pensar na destinação adequada de produtos que substituirão o plástico para evitar um novo problema de descarte.

Brasil está em 4º lugar-Lixo plástico

Levantamento do WWF mostra os maiores produtores de lixo plástico, o Brasil esta em 4º lugar no ranking, consequentemente, o país lidera o ranking dos que menos reciclam entre os dez maiores poluidores.
O WWF analisou dados de mais de 200 países.
Estados Unidos, China e Índia, nessa ordem, são os maiores poluidores, abaixo do Brasil, estão Indonésia, Rússia, Alemanha, Reino Unido, Japão e Canadá.
O Brasil produz 11,35 milhões de toneladas anuais de lixo plástico, entretanto, recicla apenas 145 toneladas,1,28% do total.

 

Proibido Plástico em São Paulo

Fontes:

www.comprasustentavel.com.br
www.estadão.com.br
www.folha.uol.com.br

Lixo Plástico

Lixo Plástico

Entre os maiores produtores de lixo plástico o Brasil está em 4º lugar.

Levantamento do WWF mostra os maiores produtores de lixo plástico do mundo. O Brasil esta em 4ºlugar no ranking, ou seja, país lidera o ranking dos que menos reciclam entre os dez maiores poluidores.

A pesquisa foi baseada no “What a Waste 2.0: A Global Snapshot of Solid Waste Management to 2050”, um estudo do Banco Mundial.

O WWF analisou dados de mais de 200 países.

Classificação dos maiores produtores:

  1. Estados Unidos
  2. China
  3. Índia
  4. Brasil
  5. Indonésia
  6. Rússia
  7. Alemanha
  8. Reino Unido
  9. Japão
  10. Canadá

BRASIL: 11,35 milhões de toneladas

O Brasil produz 11,35 milhões de toneladas anuais de lixo plástico. Recicla apenas 145 mil toneladas, 1,28% do total, contudo, os maiores produtores de lixo plástico, os norte-americanos reciclam 34,6% do lixo plástico. Contudo, a produção anual é alta: mais de 70 milhões de toneladas.

A China recicla 21,92% das 54,7 milhões de toneladas que produz por ano.

No total de resíduos plásticos produzidos no Brasil, 91% são coletados, segundo o WWF. Mas, no final, quase 8 milhões de toneladas não são reaproveitadas.Vão parar em aterros sanitários.Outras 2,4 milhões de toneladas são descartadas em lixões a céu aberto

Leia também:

Lixo Plástico

Plástico, desastre ambiental mundial

“Nosso método atual de produzir, usar e descartar o plástico esta fundamentalmente falido. Os maiores produtores de lixo plástico ainda não conseguiram debelar o problema.É um sistema sem responsabilidade.E atualmente opera de uma maneira que praticamente garante que volumes cada vez maiores de plástico
vazem para a natureza”,disse Marco Lambertini,direto-geral do WWFInternacional.

A instituição deixa claro, entretanto, que plástico não é “inerentemente nocivo”.Gera milhares de benefícios para a sociedade.

”Infelizmente,a maneira com a qual industrias e governos lidaram com o plástico e a maneira com a qual a sociedade o converteu em uma conveniência descartável transformou esta inovação em um desastre ambiental”

“Estimativas indicam que, desde 1950, mais de 160 milhões de toneladas de plástico já foram depositadas nos oceanos de todo o mundo. O material já esta em nossa cadeia alimentar. Ainda assim, estudos indicam que a poluição de plástico nos ecossistemas terrestres pode ser pelo menos quatro vezes maior do que nos
oceanos. Aproximadamente metade de todos os produtos plásticos que poluem o mundo hoje foi criada após 2000. Este problema tem apenas algumas décadas. Mas, ainda assim, 75% de todo o plástico produzido já foi descartado”.

Espécies ameaçadas pelo lixo plástico:

Segundo o WWF, os principais danos do plástico à natureza podem ser por exemplo, listados como estrangulamento, ingestão e danos ao habitat

“O estrangulamento de animais por pedaços de plástico já foi registrado em mais de 270 espécies, incluindo mamíferos, repteis, pássaros e peixes, ocasionando desde lesões agudas a ate crônicas, ou mesmo a morte. Esse estrangulamento é hoje uma das maiores ameaças à vida selvagem e conservação da biodiversidade. A ingestão de  plástico já foi registrada em mais de 240 espécies.A maior parte dos animais desenvolve ulceras e bloqueios digestivos que resultam em
morte,uma vez que o plástico muitas vezes não consegue passar por seu sistema digestivo”

Alimentos e água contaminados por plásticos:

Embora os impactos na saúde humana ainda sejam desconhecidos, varias pesquisas mostram que as pessoas têm consumido muito micro e nanoplastico.

Até no sal que usamos na cozinha há partículas de plástico “A probabilidade é maior com frutos do mar, especialmente mariscos, mexilhões e ostras, contudo, há diversas outras fontes de contaminação. Um estudo recente sobre água engarrafada constatou a contaminação por microplasticos de 93% das garrafas, proveniente de 11 marcas diferentes em nove países” lembra o estudo do WWF.

WWF orienta consumo consciente:

“Diante desses dados, a instituição dá as seguintes orientações para os consumidores:” Acione seus representantes no governo para garantir que adotem medidas para a redução, reciclagem e gestão dos resíduos plásticos de forma transparente e responsável. Faça uso de seu poder de consumidor e exija que as industrias demonstrem liderança através da redução da dependência do plástico descartável e desnecessário,enquanto investem em alternativas ecologicamente viáveis.Reduza seu consumo de plásticos desnecessários,alem de reutilizar e reciclar o que for utilizado”

Fontes:

www.comprasustentavel.com.br
www.marsemfim.com.br
www.estadão.com.br
https://revistapesquisa.fapesp.br/2019/07/08/planeta-plastico/

Mudanças climáticas

Mudanças climáticas são a principal preocupação para 41% dos jovens em 22 países, diz pesquisa.

A pesquisa da Anistia Internacional, divulgada dia 10 de dezembro para marcar o Dia Internacional dos Direitos Humanos, mostrou a mudança climática como a questão mais importante do nosso tempo, para jovens de 18 a 25 anos em 22 países, incluindo o Brasil.

A pesquisa Futuro da Humanidade, realizada pela Ipsos MORI foi lançada ao mesmo tempo em que ocorre a 25ª Conferencia do Clima da ONU, em Madri.

O que é Aquecimento Global?

Aquecimento global é o aumento da temperatura media dos oceanos e da camada de ar próxima à superfície da Terra que pode ser consequência das causas naturais e atividades humanas.Isto se deve principalmente ao aumento das emissões de gases na atmosfera que causam o efeito estufa,principalmente o dióxido de carbono-CO2.

O que é Efeito Estufa?

O Efeito estufa corresponde a uma camada de gases que cobre a superfície da terra, essa camada composta principalmente por gás carbônico (CO2), metano (CH4), N2O(oxido nitroso) e vapor de água, é um fenômeno natural fundamental para a manutenção da vida na Terra, pois sem ela o planeta poderia se tornar muito frio,inviabilizando a sobrevivência de diversas espécies.

Normalmente parte da radiação solar que chega ao nosso planeta é refletida e retorna diretamente para o espaço, outra parte é absorvida pelos oceanos e pela superfície terrestre e uma parte é retida por esta camada de gases que causa o chamado efeito estufa.

O problema não é o fenômeno natural, mas o agravamento dele.

Como muitas atividades humanas emitem uma grande quantidade de gases formadores do efeito estufa (GEEs), esta camada tem ficado cada vez mais espessa, retendo mais calor na Terra, aumentando o aquecimento global.

Leia também:

Mudanças climáticas

Quais as principais consequências do aquecimento?

São varias as consequências do aquecimento global e algumas delas já podem ser sentidas em diferentes partes do planeta. Os cientistas já observam que o aumento da temperatura media do planeta tem elevado o nível do mar devido o derretimento das calotas polares, podendo ocasionar o desaparecimento de ilhas e cidades litorâneas densamente povoadas.

E há previsão de uma frequência maior de eventos extremos climáticos:

Mudanças climáticas

  • tempestades tropicais;
  • inundações;
  • ondas de calor;
  • secas;
  • nevascas;
  • furacões;
  • tornados;
  • tsunamis.

 

Quais as principais atividades humanas que causam o aquecimento?

Entre as principais atividades humanas que causam o aquecimento global e consequentemente as mudanças climáticas, estão à queima de combustíveis fósseis (derivados do petróleo, carvão mineral e gás natural) para geração de energia, atividades industriais e transportes, conversão do uso do solo, agropecuária, descarte de resíduos sólidos (lixo) e desmatamento. Todas estas atividades emitem grande quantidade de CO2 e de gases formadores do efeito estufa.

Quais são os principais gases de efeito estufa?

Os principais gases de efeito estufa são o dióxido de carbono (CO2), o metano e o oxido nitroso. O CO2 é o gás que tem maior contribuição para o aquecimento global, pois representa mais de 70% das emissões de GEE e o seu tempo de permanência é de no mínimo cem anos, resultando em impactos no clima ao longo de séculos.

O que podemos fazer para combater o aquecimento?

Existem varias maneiras de reduzir as emissões dos gases de efeito estufa e os efeitos no aquecimento global. Diminuir o desmatamento, investir no reflorestamento e na conservação de áreas naturais, incentivar o uso de energias renováveis não convencionas (solar, eólica, biomassa e Pequenas Centrais Hidrelétricas), preferir utilizar biocombustíveis (etanol, biodiesel), investir na redução de consumo de energia e na eficiência energética, reduzir, reaproveitar e reciclar  materiais, investir em tecnologias de baixo carbono, melhorar o transporte publico com baixa emissão de GEE, são algumas das possibilidades.

E estas medidas podem ser estabelecidas através de políticas nacionais e internacionais de clima.

Fontes:

www.comprasustentavel.com.br
www.wwf.org.br

Álcool X Gasolina

Álcool X Gasolina

Para prejudicar menos o meio ambiente: qual é melhor, álcool ou gasolina?

Na tentativa de prejudicar menos o meio ambiente, qual é o maior poluente, o álcool ou a gasolina?

Vantagens do álcool combustível

Composição do álcool:

-Hidrogênio, carbono e oxigênio. Também conhecido como etanol ou álcool etílico, este combustível é produzido por fermentação a partir da cana de açúcar.

Poder calorífico do álcool:

  • 6300cal/g. Esse numero significa que o combustível libera grande quantidade de energia ao ser queimado

Apresenta preço acessível:

O álcool foi uma solução brasileira como alternativa ao petróleo, esta questão econômica é justificada pelo fato de que na década de 1970, por ocasião da primeira grande crise do petróleo, o que elevou muito o preço do produto. O Brasil importava cerca de 80% do petróleo que consumia e por isso, em 1973 foi lançado o Pro-Alcool, diminuindo a dependência do país dessa importação.Em 1979 houve a segunda grande crise do petróleo,e o pais passou a produzir veículos movidos inteiramente a álcool.

Em relação ao ambiente:

o álcool é um combustível ecologicamente melhor, afeta pouco a camada de ozônio e é obtido por fonte renovável. A diferença começa na sua queima, ela emite menos gases poluentes na atmosfera, pelo fato do álcool ser derivado de cana de açúcar e não de petróleo.

 

Agravantes da gasolina

Álcool X Gasolina

Composição:

  • Combustível constituído basicamente por hidrocarbonetos (carbono e hidrogênio)

Produtos da combustão da gasolina:

Dióxido de carbono (CO2):gás perigoso que contribui para o efeito estufa e o aquecimento global Monóxido de carbono (CO): gás perigoso formado pela combustão incompleta. Isso ocorre por que não há oxigênio suficiente disponível para reagir rápida e completamente com todo o carbono disponível
na gasolina, gerando assim resíduos poluentes.
Todos estes gases, tanto CO2 e CO, se acumulam em nossa atmosfera causando diversos males à nossa saúde.

 

Leia também:

Álcool X Gasolina

Automóvel

As indústrias de automóvel deram um importante passo ao lançarem os veículos “total flex.”. Os consumidores alem de poderem economizar no combustível, tem a opção de abastecerem com combustíveis que causem menos poluição que a gasolina (no caso do álcool).

Será que o álcool não polui?

Parece que quem usa álcool ao invés de gasolina não polui, e esta isento de culpa nesses tempos de aquecimento global, esta é uma visão errada dos conceitos de poluição. Acontece que o álcool também polui, é verdade que em menos proporção que a gasolina, mas não pode ser classificado como não poluente.
Em relação à emissão de gases poluentes, a queima do álcool emite menos gases poluentes na atmosfera pelo fato de ser derivado da fermentação da cana de açúcar. Já a gasolina, alem de ser derivada do petróleo, não possui um motor que faz a combustão de forma correta, lançando na atmosfera gases que prejudicam a saúde humana a o meio ambiente.
O álcool e a gasolina poluem consideravelmente menos do que o diesel, graças ao catalisador. Esse importante equipamento faz com que gases mais prejudiciais, como os monóxidos de carbono,sejam transformados em substancias menos perigosas. Mas ambos são responsáveis pela emissão do perigoso dióxido de carbono, que contribui para o efeito estufa e o aquecimento global.

O diesel é o grande vilão da poluição proveniente do transito.
Alem da emissão de gases poluentes, metais pesados altamente nocivos também fazem parte da composição do diesel. Eles se acumulam no organismo humano e, depois de alguns anos, chegam a causar até mesmo males neurológicos. Estudos revelaram que as dioxinas presentes no diesel são responsáveis por provocar as fortes dores de cabeça, distúrbios hormonais e câncer no aparelho respiratório.

Álcool X Gasolina

Fontes: www.comprasustentavel.com.br
www.brasilescola.uol.com.br/química

10 Atitudes Sustentáveis

10 Atitudes Sustentáveis

Nos só seremos sustentáveis quando fizermos de nossas preocupações uma ação rotineira e constante.
Tomar atitudes sustentáveis no dia a dia e ainda inseri-las no cotidiano de aprendizado da formação de filhos, netos, sobrinhos, alunos e ambiente de trabalho.

10 Atitudes:

1. Consumo de carne:

10 Atitudes Sustentáveis

Alem de produzir um numero impressionante de desmatamentos, a pecuária também é responsável por uma enorme emissão de gases
tóxicos no ar. Por isso, uma das atitudes mais eficientes que pode ser tomada em prol do planeta e da melhoria da qualidade de vida é
reduzir o consumo de carne, incluindo a branca.
Comece diminuindo as porções ao longo da semana e incentive seus filhos e conhecidos.
Sempre que possível, opte também por produtos orgânicos, que vem de animais que não ingerem agrotóxicos e são criados soltos. Tente levar a ideia para a escola do seu filho,cobrando mais alimentos vegetais nas cantinas e lanchonetes.

 

2. Comprar menos:

O melhor método para reduzir o lixo que produzimos no dia a dia é
também o mais simples: comprar menos

  • Menos roupas
  • Menos alimentos
  • Menos refrigerantes
  • Menos calçados
  • Menos eletrônicos
  • Menos eletrodomésticos
  • Menos carros….

 

3. Verbos certos:

  • Reduzir
  • Reutilizar
  • Reciclar

Uma vida mais sustentável é composta principalmente pelos três verbos citados. Esses verbos devem ser pensados na sequencia para otimizar quaisquer que sejam as iniciativas colocadas em pratica.Se reduzirmos ao resíduos,precisaremos reutilizar cada vez menos lixo e reciclar ainda menos.Por isso,antes de pensar a reciclagem,pense em como reduzir o volume de lixo que precisara receber um novo destino.No dia a dia ,alem de incentivar a pratica da coleta seletiva na escola,busque diminuir a quantidade de lixo produzido pela merenda de seu filho,por exemplo.
Reduza ouso de sacolas plásticas e providencie vasilhas seguras para que ele possa levar alimentos frescos, comprados a granel, como
lanche. Distribua canecas leves para todos os membros da família para que ninguém precise usar copos descartáveis no cotidiano.

 

4. Identifique o produtor:

Antes de comprar qualquer produto ,seja ele uma mesa, uma peça de roupa ou frutas e verduras para uma salada,identifique o produtor.
Se for industrializado observe rotulo e composição do produto. Valorize os produtores locais.

 

5. Horta:

10 Atitudes Sustentáveis

Para ajudar a natureza e ser um agente ativo da sustentabilidade comece uma pequena horta ou um jardinzinho seja em casa ou na escola de seu filho. Com as milhares de dicas sobre o assunto na internet, basta dar uma estudada. Falta de espaço não é problema.
Da para plantar em latas vazias de alimentos ou canecas.

Leia também:

10 Atitudes Sustentáveis

6. Impressões em papel:

Usar menos papel ainda é uma das atitudes mais eficientes que qualquer pessoa pode ter para manter florestas e poupar recursos naturais em suas tarefas cotidianas. Antes de imprimir, sempre se pergunte se é realmente necessário.
Também converse com os professores de seus filhos, buscando alternativas para o gasto de folhas de papel na escola.

 

7. Uso de carro:

Se você mora perto da escola de seu filho, o bom pode ser leva-lo a pé ou de bicicleta. Não sendo possível uma boa alternativa é oferecer carona para os coleguinhas dos filhos. Com um sistema de rodízio combinado, os pais diminuem a necessidade de usar seus carros, consequentemente diminuindo o impacto ao meio ambiente Transporte publico coletivo é uma excelente opção.

 

8. Uso racional da água:

Importante às praticas para economizar água-em qualquer ambiente.

  • Fechar torneira enquanto escova os dentes ou faz barba
  • Descarga de vasos sanitários sem vazamento e com dispositivo de economia
  • Banhos controlados e sem excesso de consumo
  • Uso de maquina de lavar roupas eficiente e programada
  • Lavagem de calçadas sem mangueira sempre aberta
  • Lavar pratos e talheres com método de economia

9. Energia elétrica:

O consumo de energia elétrica na residência funciona como um grande indutor de praticas sustentáveis para toda a família. Todos podem praticar e divulgarem os resultados e benefícios para todos os ambientes que frequentam.

  • Apagar luzes quando o ambiente esta sem uso
  • Desligar TV quando ninguém esta assistindo
  • Não deixar porta de geladeira aberta.
  • Não exagerar no banho quente
  • Cuidado com o uso do ar condicionado
  • Verificar a eficiência dos eletrodomésticos
  • Programar a passagem de roupa

10. Lixo

Estabelecer rotina em casa para separação do lixo e descarte em recipientes próprios para coleta seletiva é essencial para a educação ambiental de todos os integrantes da família. Os exemplos serão propagados para todos os ambientes frequentados pelos membros da família.
Exemplos:
Separar o lixo orgânico das latas de alumínio, embalagens de plástico, embalagens tetrapak, pilhas e baterias, lâmpadas, isopor,
papel e papelão, etc.

Padrão de cores para recipientes de lixo mais significativos:

  • azul: papel e papelão
  • vermelho: plástico
  • verde: vidro
  • amarelo: metal
  • marrom: orgânico

Atitudes sustentáveis são do dia a dia.

10 Atitudes Sustentáveis

 

10 Atitudes Sustentáveis

Fontes: www.comprasustentavel.com.br
www.novosalunos.com.br