5 utilidades para a borra de café

Você toma muito café? Às vezes fica se perguntando o que fazer com toda aquela borra que, constantemente, é jogada fora? Então hoje vamos ver 5 utilidades para a borra de café.

Bom, não é só você que fica se perguntando isso, e certamente você é uma pessoa sustentável.

Hoje vou mostrar 5 utilidades para a borra de café usado:

5 utilidades para a borra de café.

Fertilizante caseiro

Você pode polvilhar a borra no solo ao redor de suas plantas ou, até mesmo, fazer uma névoa de fertilizante para a sua horta.

Basta você misturar 1/2 xícara de borra e água morna em um frasco de spray.

Repelente de insetos

O forte cheiro de café mantém os insetos afastados, portanto você pode polvilhar grãos de café seco ao longo da fundação da sua casa.

Desodorizador de lixeira

Café pode absorver os fortes odores do lixo, portanto, encha uma meia-calça velha com um pouco de pó de café seco e pendure a mistura no interior da tampa da lata de lixo.

Desodorizador de geladeira

A maioria das pessoas usa bicarbonato de sódio para isso, porém, os grãos de café também funcionam.

Faça um saquinho de pano com pó de café seco dentro e coloque o saco em uma prateleira na geladeira.

Os resultados são surpreendentes.

Brilho para o cabelo

Basta esfregar os grãos de café como parte de uma lavagem final, logo após, lave-os em água fria.

Existem muitas outras alternativas para a borra de café, com certeza você vai escolher a que melhor te atende.

As alternativas vão desde esfoliador facial até desodorante de sapatos, ou seja, sem desculpas para não reaproveitar.

Fazendo isso, geramos menos lixo e, de quebra, ajudamos na preservação do meio ambiente.

Esperamos que tenham gostado da matéria e semana que vem voltamos com muito mais.

Até logo, e lembre-se, sustentabilidade se faz em casa!

Dicas de como economizar água

Economizando água, você não está só salvando seu “bolso”, mas sim ajudando muito o meio ambiente, portanto, aqui vão Dicas de como economizar água.

Nosso planeta é composto de 71% de água, porém, somente 2,7% de tudo isso é o que chamamos de “água doce”.

Você achou pouco? Bem 1,8% da “água doce” nem está em estado líquido, ou seja, está em forma de gelo nas Calotas Polares.

Se o Homem continuar com o descaso com a água, certamente em alguns anos estaremos vivendo uma escassez do elemento mais vital para nossa existência.

Portanto aqui vão Dicas de como economizar água:

Uso da descarga

Devemos usar a descarga com consciência, pois, quando apertado por 6 segundos o consumo pode ser de 6 a 10 litros de água.

Evite jogar lixo no vaso sanitário, nosso sistema de esgoto e tratamento de água não comporta tal atitude.

Limpe a louça antes de lavar.

Às vezes gastamos muita água lavando louça, certamente, isso pode ser melhorado se tirarmos o excesso de comida antes de lavar.

Antes de abrir a torneira, ensaboe toda louça, para depois começar a lavar na água corrente.

Se em sua casa tem máquina de lavar louça, procure só a usar quando a mesma estiver cheia.

Dicas de como economizar água

Reaproveitamento da água.

Essa com certeza é uma das melhores dicas, reutilizar água da máquina e literalmente fazer o seu dinheiro render.

Você estará usando uma água que já foi paga, apesar de “suja” é uma água perfeita para, por exemplo, lavarmos a calçada.

Essa água não é recomendada para regar seu quintal, pois, esta cheia de produtos químicos.

Já a água da chuva, mais parece um presente dos céus, uma água relativamente limpa que com apenas alguns cuidados pode até ser consumida.

Hoje existem cisternas bem modernas e baratas que podem ser ligadas às saídas de calhas, porém, nada te impede de usar um “tambor” comum para fazer o mesmo.

Lembre-se, porém, de que a água estocada precisa de atenção e tratamento.

Limpe a calçada com uma vassoura.

Evite usar uma mangueira para lavar a calçada, com certeza, usar a vassoura irá resolver seu problema.

Caso tenha seguido a dica de cima, reutilizar a água da chuva ou da máquina de lavar pode ser uma atitude inteligente.

Preste atenção em vazamentos.

Quando temos grandes vazamentos de água em casa, certamente, corremos para consertar.

Talvez, às vezes, essa atitude possa ser motivada pela razão errada, ou seja, o vazamento pode se tornar um grande problema.

Porém os pequenos vazamentos merecem a mesma atenção, aquela torneira gotejando mesmo fechada pode gastar dezenas de litros de água por dia.

É bom lembrar que vazamentos podem ser “invisíveis”, portanto, fique sempre atento a manchas no chão ou na parede e a qualquer alteração no seu consumo médio mensal.

Por fim, existem mais inúmeras maneiras de economizar água, se você pensar com calma, certamente, vai descobrir várias outras maneiras.

Dicas de como economizar água
Foto:http://www.saaesp.sp.gov.br/

Salvar o planeta e economizar ao mesmo tempo pode ser um pouco  trabalhoso, porém, não temos mais tempo para contornar o problema.

Espero que esse post tenha sido útil para você, e quarta-feira que vem voltamos com mais dicas e matérias sustentáveis. Até lá!

3 dicas de como descartar seu óleo corretamente

Um problema que sempre temos em casa é como descartar o óleo usado, portanto, hoje vamos ver 3 dicas de como descartar seu óleo corretamente

Infelizmente poucos sabem realmente como descartar o óleo corretamente, ou seja, acaba o despejando no ralo, na pia ou até mesmo no vaso sanitário.

Os impactos negativos ambientais são gigantescos como por exemplo:

  • Contaminação do solo
  • Entupimento da rede de esgoto
  • Poluição dos lençóis freáticos
  • Impermeabilização do solo
  • Proliferação de animais transmissores de doenças

Antes de decidir qual a melhor forma de descarte, devemos identificar o tipo de óleo que estamos lidando.

Podemos classificar os óleos em 4 grupos, são eles: Mineral, Sintético, Vegetal e Gordura animal, contudo, existem também subcategorias. Fique atento!

3 dicas de como descartar seu óleo corretamente

3 dicas de como descartar seu óleo corretamente

Filtre o óleo usado

Antes de armazenar o óleo para o descarte é fundamental que o mesmo seja filtrado, principalmente, se foi usado em frituras que deixam resíduo de alimentos.

Armazenamento

Nunca descarte o óleo na rede de esgoto, ou seja, pias, privadas e ralos.

Após filtrar, armazene-o em um recipiente limpo e com tampa, por exemplo, uma garrafa pet.

Com essa atitude você reduz os riscos de entupimento de tubulações e, consequentemente, conserva o óleo para que seja encaminhado para reciclagem.

Faça o descarte corretamente.

A coleta de lixo comum não dará um destino correto ao óleo descartado, portanto, não é uma opção sustentável.

Existem ONGs e empresas que recolhem ou recebem esse tipo de resíduo, porém, não existe um programa nacional para isso.

3 dicas de como descartar seu óleo corretamente
Foto: www.anchieta.es.gov.br

Em cada cidade existe uma maneira diferente de descarte, procure se informar na internet.

O CONAMA (Conselho Nacional do Meio Ambiente) determina que as empresas recolham e destinem corretamente óleos e demais produtos químicos que possam causar danos ao meio ambiente fornecido por elas.

Somente troque o óleo do seu carro em oficinas sustentáveis, ou seja, que darão o destino correto ao resíduo descartado.

Com esses cuidados podemos a ajudar a diminuir o impacto desses resíduos a natureza.

Até mais pessoal, e semana que vem voltamos com mais matérias sustentáveis para você!

DESENVOLVIMENTO URBANO

DESENVOLVIMENTO URBANO

Cidades brasileiras cresceram sem o devido planejamento?

DESENVOLVIMENTO URBANO

A transição do Brasil rural para o urbano caminha junto do desenvolvimento industrial. Foi a partir de 1950 que mais da metade da população migrou para as cidades, onde vivem atualmente cerca de 85% dos brasileiros.

Nesse processo,faltou aos municípios estrutura administrativa, ou seja, planejamento e até mesmo os instrumentos jurídicos para lidar com os desafios.

Surgiram aglomerados de pessoas desassistidas,ocupando espaços muitas vezes segregados,sem acesso a serviços básicos como saúde,transporte,educação,lazer,cultura e saneamento básico.

Instrumento básico da política de desenvolvimento e de expansão urbana dos municípios, segundo o Estatuto da Cidade,é o Plano Diretor

Mas apenas o Plano Diretor não garante um bom planejamento, que inclui a integração e a obrigatória compatibilização com os planos setoriais e o planejamento metropolitano, ainda mais, quando o município faz parte de uma Região Metropolitana ou aglomeração urbana.

Plano Diretor:

É um instrumento de planejamento urbano municipal, portanto, tem como objetivo ordenar o desenvolvimento da cidade sob o ponto de vista urbanístico, econômico e social.

Serve para regular a ocupação dos espaços urbanos em prol do bem coletivo, estabelecendo estratégias para garantir a qualidade de vida da população, consequentemente, tornando viável a função social da propriedade urbana (pública e privada).

Todos os demais planos setoriais desenvolvidos pelos municípios precisam necessariamente estar compatibilizados com seu respectivo Plano Diretor.

Plano de Mobilidade Urbana:

É o instrumento de efetivação da Política Nacional de Mobilidade Urbana, fundamentada em princípios como o desenvolvimento sustentável das cidades, ou seja, igualdade no acesso dos cidadãos ao transporte coletivo e uso do espaço publico de circulação.

Tem como diretrizes importantes: a prioridade dos modos de transporte ativos sobre os motorizados e dos serviços de transporte publico coletivo sobre o transporte individual; a mitigação dos custos ambientais, sociais e econômicos (custos externos ou externalidade) dos deslocamentos urbanos, em especial do trafego rodoviário; alem disso, incentivar ao desenvolvimento cientifico-tecnologico e ao uso de energias renováveis menos poluentes.

Inclui uma visão para mobilidade urbana do município, com metas de curto, médio e longo prazo.

Plano Local de Habitação de Interesse Social:

Instrumento de aplicação no nível local da Política Nacional de Habitação, que tem entre suas diretrizes garantir o direito à moradia digna e o princípio da função social da propriedade estabelecido na Constituição e no Estatuto da Cidade, promover ações coordenadas no território para garantir acesso a moradia e à própria cidade, ser realizado com participação social, garantir atendimento prioritário à população de baixa renda e ações voltadas à ampliação e universalização do acesso à terra urbanizada.

Plano de Saneamento Básico:

É o instrumento de efetivação da Política Nacional de Resíduos Sólidos. A Lei Federal de Saneamento Básico tem entre os seus princípios a universalização do acesso com segurança, qualidade e regularidade, promoção da saúde publica, segurança da vida e do patrimônio e proteção do meio ambiente, adoção de tecnologias apropriadas para as peculiaridades locais e regionais, soluções graduais e progressivas, integradas com a gestão eficiente dos recursos hídricos, com sustentabilidade econômica e eficiência.

É um diagnostico do saneamento básico do município para planejar metas de curto, médio e longo prazo para a universalização do acesso a serviços de abastecimento de água, esgotamento sanitário, drenagem e manejo de águas pluviais urbanas, limpeza urbana e manejo dos resíduos sólidos.

DESENVOLVIMENTO URBANO

Leia também:

DESENVOLVIMENTO URBANO

Plano de Gestão Integrada de Resíduos Sólidos:

Instrumento de planejamento instituído pela Política Nacional de Resíduos Sólidos no nível local. Uma das inovações da lei é que o escopo de planejamento não deve tratar apenas dos resíduos sólidos urbanos (domiciliares e limpeza urbana), contudo, uma ampla variedade de resíduos sólidos, que são descritos no art. 13 da lei: domiciliares; de limpeza urbana; de estabelecimentos comerciais e prestadores de serviços; dos serviços públicos de saneamento; indústria; de serviços de saúde; da construção civil; agrossilvopastoris; de serviços de transportes e de mineração.

O Plano, exigido dos municípios, deve conter um diagnostico do tratamento dos resíduos gerados,assim como definir diretrizes,metas e estratégias a serem alcançadas, abrangendo desde a geração dos resíduos até a disposição final adequada, assim como, a prioridade para soluções capazes de minimizar os efeitos negativos para o ambiente.

Plano de Desenvolvimento Urbano Integrado:

DESENVOLVIMENTO URBANO

Instrumento estabelecido pelo Estatuto da Metrópole para traçar as diretrizes de desenvolvimento urbano das regiões metropolitanas e aglomerações urbanas brasileiras.

Fixa as bases de atuação conjunta entre estados e municípios nesses territórios.

Ao propor uma governança interfederativa, ou seja, institui a gestão compartilhada de funções publicas de interesse comum com o objetivo de tornar serviços urbanos mais eficientes e capazes de atender mais pessoas.

A elaboração de um plano de desenvolvimento integrado não exime os municípios de elaborarem seus respectivos planos diretores, além disso, os planos diretores locais devem necessariamente ser compatibilizados com o plano de desenvolvimento integrado.

DESAFIOS:

Como se pode ver, os desafios de planejamento e a complexidade das exigências para os municípios são grandes.

Algumas dificuldades são comuns a muitas cidades, como por exemplo: falta de equipe dedicada, de recursos técnicos e financeiros, de dados, dificuldades políticas e de trabalhar com uma legislação complexa.

Muitos municípios carecem de um planejamento a longo prazo que ultrapasse mandatos de prefeitos, como resultado, a integração maior entre as secretarias,que deveriam trabalhar juntas em muitos casos.

 

DESENVOLVIMENTO URBANO

Fontes:

www.comprasustentavel.com.br

www.wribrasil.org.br

Recolhimento do Lixo Eletrônico

Recolhimento do Lixo Eletrônico

Decreto altera regras para recolhimento de lixo
eletrônico.

Foi publicado esta semana (15 de fevereiro de 20) o Decreto 10.240/2020, que estabelece as regras para a implementação do sistema de logística reversa para os produtos eletrônicos, portanto, sem desculpas.

O texto regulamenta o mecanismo previsto na Política Nacional de Resíduos Sólidos, sancionada em 2010, para que os fabricantes e importadores desses itens se responsabilizem pelo descarte no meio ambiente.

Pelo decreto, as empresas podem se associar e criar entidades gestoras que vão fazer o trabalho de divulgação e operação do sistema de logística reversa.

Cada companhia vai participar do financiamento na mesma proporção do tamanho dela no mercado, ou seja, quem suja mais contribui mais.

Há a possibilidade ainda das empresas criarem seus mecanismos de coleta de produtos de forma individual.

O decreto estipula que a constituição das entidades que vão fazer a gestão da logística reversa seja feita ainda este ano, até o dia 31 de dezembro.

Assim a partir de 2021, devem começar a serem instalados os pontos de coleta e a divulgação do sistema aos consumidores.

O sistema deve ser implantado até 2025,nos 400 maiores municípios do pais, entretanto, cronograma é gradativo.Em 2021,primeiro ano de funcionamento deve ser atendidas 24 cidades e absorvido 1% do lixo eletrônico.

São Paulo é o estado que devera ter maior participação, com oito dessas localidades, no primeiro ano, e 95 ao fim do calendário de consolidação.

A estimativa é que em cinco anos, 17% dos aparelhos sejam recolhidos.

As cidades deverão ter no mínimo, um ponto para cada 25 mil habitantes.

A previsão é que em 2025 existam cerca de 5 mil pontos de coleta no pais.Esses locais vão receber gratuitamente os aparelhos para serem descartados.

Leia também:

Recolhimento do Lixo Eletrônico

O que é lixo eletrônico?

Recolhimento do Lixo Eletrônico

O lixo eletrônico, também conhecido como e-lixo, é composto por produtos que não tem mais valor por falta de utilização,substituição
ou quebra. A categoria inclui “produtos da linha branca”, como refrigeradores, maquinas de lavar e micro-ondas, alem de aparelhos
eletrônicos como televisores, computadores, telefones celulares, tabletes, drones,assim como pilhas,baterias, cartuchos e toners.
O destino dos resíduos virou um desafio planetário. O Brasil é detentor do titulo de sétimo maior produtor de lixo eletrônico do mundo, ficando atrás de China, Estados Unidos, Japão, Índia, Alemanha e Reino Unido.

SOLUÇÃO

O governo brasileiro criou, em 2010, a Política Nacional de Resíduos Sólidos. Segundo a lei, os fabricantes, distribuidores, comerciantes, consumidores e os titulares dos serviços públicos de limpeza devem tomar medidas para minimizar o volume de resíduos gerados e instituir uma cadeia de recolhimento e destinação ambientalmente adequada pós-consumo.

LOGÍSTICA REVERSA

O descarte de resíduos eletrônicos passou a ser um dos principais desafios ambientais enfrentados pelas empresas de tecnologia, por isso algumas marcas criaram formas de implementar a logística reversa.A proposta é diminuir o impacto do e-lixo ao realizar a analise e o desmonte desses resíduos.A fabricante ficaria responsável por separar os componentes,alem de garantir a destinação adequada de cada um deles,seja ao envia-los para a reciclagem,ao utiliza-los em novos produtos ou ao encaminha-los para aterros especiais.

Fontes:

www.comprasustentavel.com.br
www.conjur.com.br

Lixo Eletrônico

Lixo Eletrônico

O que é lixo eletrônico?

Lixo Eletrônico

O lixo eletrônico, também conhecido como e-lixo, é composto por produtos que não tem mais valor, ou seja, por falta de utilização, substituição ou quebra.

A categoria inclui “produtos da linha branca”, como refrigeradores, maquinas de lavar e micro-ondas, alem de aparelhos eletrônicos como televisores, computadores, telefones celulares, tabletes, drones,assim como pilhas,baterias, cartuchos e toners.

O destino dos resíduos virou um desafio planetário. O Brasil é detentor do titulo de sétimo maior produtor de lixo eletrônico do mundo, contudo, ficando atrás de China, Estados Unidos, Japão, Índia, Alemanha e Reino Unido,

Curiosidade:

Lixo plástico, por exemplo, estão entre os maiores produtores de lixo plástico do mundo o Brasil  em 4ºlugar atrás de Estados Unidos, China e Índia. O país lidera o ranking dos que menos reciclam entre os dez maiores poluidores.

 

PERIGOS:

Os aparelhos devem ser reciclados de forma cuidadosa por pessoas especializadas, caso contrario, o risco de contaminação para o meio ambiente e perigo à saúde humana são altos.

Países em desenvolvimento como a Índia e a China, quarto e primeiro lugar na produção de lixo no mundo, apresentaram um crescente corpo de evidencias epidemiológicas e clinicas, portanto, ligando o alerta vermelho a ameaça do lixo eletrônico.

No Brasil, um exemplo recente foi o caso de uma empresa fabricante de baterias industriais e de automóveis que tinha chumbo como um dos principais componentes da fabricação dos produtos.

O processo inadequado de desmonte e reciclagem da bateria causou a poluição do solo na sede da empresa.

A exposição humana a esses metais pesados,com o tempo,pode causar doenças cardiovasculares,hepáticas e do sistema nervoso.

Os cartuchos de toners de impressora também contem um pó, que, ao entrar em contato com o fogo, libera gás metano. Alem de agredir o meio ambiente, o componente também pode causar problemas respiratórios.

O descarte incorreto da tinta proveniente desses cartuchos pode contaminar, por exemplo, o solo e lençol freático, o que deixa o terreno inapropriado para uso e a água para consumo.

SOLUÇÃO:

O governo brasileiro criou, em 2010, a Política Nacional de Resíduos Sólidos, contudo, segundo a lei, os fabricantes, distribuidores, comerciantes, consumidores e os titulares dos serviços públicos de limpeza devem tomar medidas para minimizar o volume de resíduos gerados e instituir uma cadeia de recolhimento e destinação ambientalmente adequada pós-consumo.

Leia também:

Lixo Eletrônico

LOGÍSTICA REVERSA

O descarte de resíduos eletrônicos passou a ser um dos principais desafios ambientais enfrentados pelas empresas de tecnologia, por isso algumas marcas criaram forma de implementar a logística reversa.

A proposta é diminuir o impacto do e-lixo ao realizar a analise e o desmonte desses resíduos.

A fabricante ficaria responsável por separar os componentes,alem de garantir a destinação adequada de cada um deles.

E os CARROS ELÉTRICOS?

Lixo Eletrônico

Quando falamos em troca de baterias, falamos quase que automaticamente no que fazer com células e conjuntos descartados após a vida útil.

De acordo com o Ministério do Meio Ambiente, as baterias de íons de lítio de aparelhos eletrônicos e veículos usadas, nem são tratadas no país, ou seja, todas são exportadas para reciclagem.

Isso acontece, em primeiro lugar, por um motivo simples: o Brasil não fabrica baterias de lítio em larga escala, especialmente para eletroeletrônicos, cuja produção se concentra na Ásia.

Por sua vez, a reciclagem se destina a separar metais e outros componentes para serem reutilizados em novas baterias, por isso fica mais barato e fácil mandar para fora, ou seja, de volta à origem.

Mas isso tem um custo e, pior, não nos gera qualquer vantagem econômica.

Lixo Eletrônico

Fontes:

www.comprasustentavel.com.br
www.techtudo.com.br
www.ol.com.br/carros

Cidades Sustentáveis – Brasil

Cidades Sustentáveis – Brasil

ÁREAS CONTAMINADAS

A correta destinação dos resíduos sólidos é condição primordial para uma cidade sustentável.

Cidades Sustentáveis - Brasil

A Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) trouxe importantes instrumentos para que municípios de todo o Brasil iniciassem o enfrentamento aos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos residos sólidos. PNRS tem como pilar o principio da responsabilidade compartilhada. Isso significa que indústrias, distribuidores e varejistas, prefeituras e consumidores são todos responsáveis pelos resíduos sólidos e cada um terá de contribuir para que eles tenham uma disposição final adequada.

Buscar um melhor ordenamento do ambiente urbano primando pela qualidade de vida da população é trabalhar por uma cidade sustentável. Melhorar a mobilidade urbana, a poluição sonora e atmosférica, o descarte de resíduos sólidos, eficiência energética, economia de água, entre outros aspectos, contribuem para tornar uma cidade sustentável.

Um dos problemas: ÁREAS CONTAMINADAS

Entende-se área contaminada como sendo área, terreno, local, instalação, edificação ou benfeitoria que contenha quantidades ou concentrações de quaisquer substancias ou resíduos em condições que causem ou possam causar danos à saúde humana, ao meio ambiente ou a outro bem a proteger, que nela tenham sido
depositados, acumulados, armazenados, enterrados ou infiltrados de forma planejada, acidental ou até mesmo natural.

Nessa área, os poluentes ou contaminantes podem concentrar-se em subsuperficie nos diferentes compartimentos do ambiente, como por exemplo, no solo, nos sedimentos, nas rochas, nos materiais utilizados para aterrar os terrenos, nas águas subterrâneas, ou de uma forma geral, nas zonas não saturada e saturada, alem de  poderem concentrar-se nas paredes, nos pisos e nas estruturas de construções.

Os contaminantes podem ser transportados a partir desses meios, propagando-se por diferentes vias, como o ar, o solo, as águas subterrâneas e superficiais, alterando suas características naturais de qualidade e determinando impactos e/ou riscos sobre bens a proteger ,localizados na própria área ou em seus arredores.As vias de contaminação dos contaminantes para os diferentes meios podem ser a lixiviação do solo para a água subterrânea,absorção e adsorção dos contaminantes nas raízes de plantas,verduras e legumes,escoamento superficial para a água superficial,inalação de vapores,contato dermal com o solo e ingestão do mesmo por seres humanos e animais.

Leia também:

 

Cidades Sustentáveis – Brasil

Áreas contaminadas urbanas, como lixões, terrenos baldios com lixo, postos de gasolina com vazamentos, descartes irregulares de lâmpadas, pilhas, baterias, aterros sanitários em processo de encerramento, podem causar riscos a saúde humana e desvalorizar financeiramente os imóveis vizinhos.

O processo de identificação de uma área contaminada envolve uma avaliação preliminar, investigação confirmatória, investigação detalhada, avaliação de risco e ações para reabilitação da área, até as concentrações das substancias detectadas atingirem níveis aceitáveis para uso.

Para definir concretamente as ações de reabilitação, é de suma importância ter-se conhecido o cenário local, a extensão da contaminação e se as vias de contaminação existem. As opções para reuso da área devem considerar o tamanho da mesma, proximidade da população vizinha, necessidades e desejos da população vizinha, vias de acesso, zoneamento do local ao redor da área, contaminação da área e metas de remediação.

Áreas contaminadas urbanas, como lixões e aterros sanitários em processo de encerramento, como exemplo, podem ter usos futuros como parques, campos de futebol, campos de golfe, praças, áreas verdes ou áreas recreacionais diversas.

Para se ter um uso futuro seguro,as ações de intervenção na área podem contemplar a impermeabilização da área,instalação de barreiras hidráulicas,instalação de drenos para gases e líquidos,sistema de bombeamento e tratamento da água e  chorume,bem como manter a população que usa a área reabilitada informada sobre a situação ambiental da contaminação. Dentre as técnicas de remediação existentes, para garantir a compatibilização do uso futuro da área com contaminação existente, destacam-se o tratamento térmico, solidificação, estabilização, biorremediação, transformação química e atenuação natural.

 

Cidades Sustentáveis – Brasil

Fontes:

www.mma.gov.br
www.comprasustentavel.com.br

Proibido Plástico em São Paulo

Proibido Plástico em São Paulo

O prefeito de São Paulo sancionou segunda feira-13/01/2020 a lei que proíbe o fornecimento de produtos descartáveis de plástico em estabelecimentos comerciais da capital, ou seja, nada de copinhos e sacolas.

Proibido Plástico em São Paulo

De autoria do vereador Xexéu Trípoli (PV), a lei proíbe a distribuição de copos, pratos, talheres, agitadores de bebidas e varas para balões de uso único feito com plástico.

O texto também proíbe o fornecimento desses produtos feitos com plástico oxibiodegradável, ou seja, quando o produto recebe um aditivo para acelerar a decomposição,reduzindo-o em microfragmentos.

A lei entra em vigor em 1º de janeiro de 2021, prazo para que consumidores e estabelecimentos comerciais se adaptem à nova regra.

A partir dessa data, o bar, restaurante ou lanchonete que distribuir descartáveis poderá ser multado, contudo, se reincidente a multa aumenta e se a infração persistir o estabelecimento poderá ser fechado.

O prefeito disse que a fiscalização será feita pelos agentes da prefeitura. Mesmo assim, o prefeito acredita mais em uma mudança de comportamento do próprio consumidor.

”A população vai abrir mão de um conforto individual porque entende que esse é um compromisso ambiental”

A lei vale inclusive para food truck ou entregas delivery feitas por aplicativos de comidas.

Leia também:

Proibido Plástico em São Paulo

Como funciona a lei:

Utensílios proibidos:

Estabelecimentos comerciais ficam proibidos de fornecer talheres, pratos, mexedores de bebida e varas para balões feitos de plástico.
Eles podem ser substituídos por similares de material biodegradável, compostavel ou reutilizável.

Vale para quem?

Estabelecimentos como hotéis, restaurantes, bares, padarias, espaços para festas infantis,clubes noturnos,casas de show e de eventos culturais e esportivos devem se adequar à nova regra. A venda não esta proibida em supermercados.

Prazo de adequação

Os estabelecimentos terão até janeiro de 2021 para se adequar

Punição

Estabelecimentos infratores ficam sujeitos a multas e até mesmo o fechamento em caso de reincidência. A lei prevê que na 1ºautuação, o infrator receba só advertência. Caso o descumprimento se repita, fica sujeito à multa e ao fechamento.

Federal

A medida, porem, não atinge a venda de descartáveis em supermercados ou uso de garrafas pet para embalagens. Como se tratam de temas federais, o Município não pode fazer lei especifica para proibi-los.

Reação

A Associação Brasileira da Indústria do Plástico (Abiplast) disse, em nota, não acreditar que a “vilanização e o banimento” do plástico são o modo de resolver a “má gestão de resíduos sólidos”. A entidade afirma ainda que é necessário pensar na destinação adequada de produtos que substituirão o plástico para evitar um novo problema de descarte.

Brasil está em 4º lugar-Lixo plástico

Levantamento do WWF mostra os maiores produtores de lixo plástico, o Brasil esta em 4º lugar no ranking, consequentemente, o país lidera o ranking dos que menos reciclam entre os dez maiores poluidores.
O WWF analisou dados de mais de 200 países.
Estados Unidos, China e Índia, nessa ordem, são os maiores poluidores, abaixo do Brasil, estão Indonésia, Rússia, Alemanha, Reino Unido, Japão e Canadá.
O Brasil produz 11,35 milhões de toneladas anuais de lixo plástico, entretanto, recicla apenas 145 toneladas,1,28% do total.

 

Proibido Plástico em São Paulo

Fontes:

www.comprasustentavel.com.br
www.estadão.com.br
www.folha.uol.com.br

Embalagens Sustentáveis

Embalagens sustentáveis são aquelas feitas de materiais orgânicos, recicláveis ou biodegradáveis e cuja produção demanda menos energia e recursos naturais.

Outro aspecto importante de se pensar na hora de considerar uma embalagem como sustentável é o seu descarte. É importante que os impactos causados ao meio ambiente na hora do descarte sejam reduzidos para que a embalagem possa se enquadrar nessa categoria.

O uso de embalagens retornáveis representa uma boa maneira de conscientizar a população sobre a importância em preservar os recursos
naturais, que são limitados e já começam a ficar escassos.

EXEMPLOS DE EMBALAGENS SUSTENTÁVEIS

1. Embalagem de Vidro:
As embalagens de vidro são consideradas sustentáveis apesar de utilizarem areia em sua produção. Elas podem ser facilmente
reutilizadas (até mesmo em casa), não liberam substancias toxicas e podem ser recicladas diversas vezes.
A vantagem do vidro em relação às embalagens biodegradáveis (que utilizam matéria-prima vegetal) é que a sua produção não compete espaço com a produção de alimentos.

2. Embalagem de alumínio:
Apesar de dependerem da atividade mineradora, as embalagens de alumino podem ser consideradas sustentáveis, pois são infinitamente recicláveis. Alem disso, o alumínio não é toxico para o organismo.

Embalagens Sustentáveis

3. Embalagem de cogumelo:
As embalagens de cogumelo são feitas a partir de raízes de cogumelo crescidas em folhas mortas, húmus e uma variedade de substancias, que levam a materiais de diferentes texturas, flexibilidade e durabilidade. As desvantagens da embalagem biodegradável de cogumelos são seu elevado custo e o fato de ser potencialmente competitiva com recursos que poderiam ser utilizados para produzir alimentos.

 

 

4. Embalagem de papel reciclado:
As embalagens de papel reciclado também são embalagens sustentáveis. Elas são desenvolvidas principalmente para exercer a função de proteção de utensílios que precisam ser carregados. Os principais benefícios das embalagens de papel reciclado são a potencialização do tempo de vida do produto e a maximização do valor extraído das matérias-primas. Outra vantagem é a energia economizada.

Embalagens Sustentáveis

5. Embalagem de fécula de mandioca:
Elas são compostáveis, biocompatíveis e recicláveis. No entanto, o custo é mais que o dobro do que se paga pelo isopor. E elas só podem ser utilizadas para alimentos secos ou de consumo imediato. Do contrario, em contato com umidade por muito tempo, se desmancham.

 

 

 

6. Embalagem de bagaço de cana-de-açúcar:
Uma jovem curitibana criou embalagens biodegradáveis para substituir o isopor.Sayuri Magnabosco,de apenas 16 anos,utilizou bagaço de cana para fazer um material que se decompõe em apenas um mês.

7. Embalagem de plástico PLA:
O plástico PLA, plástico de poliácido láctico, é um plástico biodegradável que pode ser utilizado como embalagem alimentícia, cosmética, na produção de sacolas, garrafas, canetas, vidros, tampas, talheres, entre outros. No processo de produção do plástico PLA, as bactérias produzem o acido lático por meio do processo de fermentação de vegetais ricos em amido, como a beterraba, o milho e a mandioca. Alem de biodegradáveis, as embalagens feitas de plástico PLA são recicláveis mecânica e quimicamente, biocompativeis e bioabsorviveis. Elas são obtidas de fontes renováveis (vegetais) e ,quando descartadas corretamente,transformam em substâncias inofensivas porque são facilmente degradadas pela água.  A desvantagem do plástico PLA é que o custo de produção da embalagem ainda é elevado, o que torna o produto mais caro que os convencionais.

8. Embalagem de fibra de coco:
As embalagens de fibra de coco foram desenvolvidas principalmente para embalar alimentos. Diferente de alguns tipos de plástico, as embalagens de fibra de coco não são nocivas ao organismo humano. São embalagens sustentáveis, pois não demandam muita tecnologia para serem desenvolvidas,são feitas a partir de matéria prima nacional,podem voltar para a fabrica para serem recicladas e podem ser biodegradadas se colocadas no solo.

Leia também:

Embalagens sustentáveis

Sustentabilidade de verdade

As embalagens são uma necessidade cada vez maior por conta da corrida vida moderna e acabam sendo muito uteis. Mas vale sempre lembrar que o melhor jeito de evitar os danos causados por elas é não usá-las. Principalmente as de plástico, que quando descartadas incorretamente ou quando escapam de aterros por meio de vento e da chuva, por demorarem muito tempo para se decompor,tem seus riscos,como sufocamento de animais,entrada na cadeia alimentar,contaminação por disruptores endócrinos,entre outros aumentados.

SEMPRE DESCARTAR CORRETAMENTE AS EMBALAGENS!

Fontes:

www.comprasustentavel.com.br
www.ecycle.com.br

Mudanças climáticas

Mudanças climáticas são a principal preocupação para 41% dos jovens em 22 países, diz pesquisa.

A pesquisa da Anistia Internacional, divulgada dia 10 de dezembro para marcar o Dia Internacional dos Direitos Humanos, mostrou a mudança climática como a questão mais importante do nosso tempo, para jovens de 18 a 25 anos em 22 países, incluindo o Brasil.

A pesquisa Futuro da Humanidade, realizada pela Ipsos MORI foi lançada ao mesmo tempo em que ocorre a 25ª Conferencia do Clima da ONU, em Madri.

O que é Aquecimento Global?

Aquecimento global é o aumento da temperatura media dos oceanos e da camada de ar próxima à superfície da Terra que pode ser consequência das causas naturais e atividades humanas.Isto se deve principalmente ao aumento das emissões de gases na atmosfera que causam o efeito estufa,principalmente o dióxido de carbono-CO2.

O que é Efeito Estufa?

O Efeito estufa corresponde a uma camada de gases que cobre a superfície da terra, essa camada composta principalmente por gás carbônico (CO2), metano (CH4), N2O(oxido nitroso) e vapor de água, é um fenômeno natural fundamental para a manutenção da vida na Terra, pois sem ela o planeta poderia se tornar muito frio,inviabilizando a sobrevivência de diversas espécies.

Normalmente parte da radiação solar que chega ao nosso planeta é refletida e retorna diretamente para o espaço, outra parte é absorvida pelos oceanos e pela superfície terrestre e uma parte é retida por esta camada de gases que causa o chamado efeito estufa.

O problema não é o fenômeno natural, mas o agravamento dele.

Como muitas atividades humanas emitem uma grande quantidade de gases formadores do efeito estufa (GEEs), esta camada tem ficado cada vez mais espessa, retendo mais calor na Terra, aumentando o aquecimento global.

Leia também:

Mudanças climáticas

Quais as principais consequências do aquecimento?

São varias as consequências do aquecimento global e algumas delas já podem ser sentidas em diferentes partes do planeta. Os cientistas já observam que o aumento da temperatura media do planeta tem elevado o nível do mar devido o derretimento das calotas polares, podendo ocasionar o desaparecimento de ilhas e cidades litorâneas densamente povoadas.

E há previsão de uma frequência maior de eventos extremos climáticos:

Mudanças climáticas

  • tempestades tropicais;
  • inundações;
  • ondas de calor;
  • secas;
  • nevascas;
  • furacões;
  • tornados;
  • tsunamis.

 

Quais as principais atividades humanas que causam o aquecimento?

Entre as principais atividades humanas que causam o aquecimento global e consequentemente as mudanças climáticas, estão à queima de combustíveis fósseis (derivados do petróleo, carvão mineral e gás natural) para geração de energia, atividades industriais e transportes, conversão do uso do solo, agropecuária, descarte de resíduos sólidos (lixo) e desmatamento. Todas estas atividades emitem grande quantidade de CO2 e de gases formadores do efeito estufa.

Quais são os principais gases de efeito estufa?

Os principais gases de efeito estufa são o dióxido de carbono (CO2), o metano e o oxido nitroso. O CO2 é o gás que tem maior contribuição para o aquecimento global, pois representa mais de 70% das emissões de GEE e o seu tempo de permanência é de no mínimo cem anos, resultando em impactos no clima ao longo de séculos.

O que podemos fazer para combater o aquecimento?

Existem varias maneiras de reduzir as emissões dos gases de efeito estufa e os efeitos no aquecimento global. Diminuir o desmatamento, investir no reflorestamento e na conservação de áreas naturais, incentivar o uso de energias renováveis não convencionas (solar, eólica, biomassa e Pequenas Centrais Hidrelétricas), preferir utilizar biocombustíveis (etanol, biodiesel), investir na redução de consumo de energia e na eficiência energética, reduzir, reaproveitar e reciclar  materiais, investir em tecnologias de baixo carbono, melhorar o transporte publico com baixa emissão de GEE, são algumas das possibilidades.

E estas medidas podem ser estabelecidas através de políticas nacionais e internacionais de clima.

Fontes:

www.comprasustentavel.com.br
www.wwf.org.br